Embraer 170 certificado para pouso com aproximação íngreme

150

O jato comercial EMBRAER 170 foi certificado para aproximação íngreme pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e pela European Aviation Safety Agency (EASA). O EMBRAER 170 é o primeiro E-Jet a oferecer esta capacidade operacional, que representa a etapa final rumo à operação a partir do aeroporto de London City (London City Airport – LCY). O EMBRAER 190 será o segundo jato da família a incorporar essa funcionalidade, com certificação prevista para dezembro de 2008.

O procedimento de aproximação íngreme foi especialmente desenvolvido para operação no aeroporto de London City, pois o pouso por instrumento exige rampa de descida de 5,5 graus, ao invés da rampa padrão de 3,0 graus. A certificação foi obtida após uma bem-sucedida campanha de desenvolvimento, que incluiu vôos específicos nesse aeroporto.

“A capacidade para operar no aeroporto de London City foi algo que prometemos ao mercado desde o início da concepção do EMBRAER 170”, afirmou Mauro Kern, Vice- Presidente Executivo para o Mercado de Aviação Comercial. “Foi um grande desafio vencido por nossa equipe de desenvolvimento. As empresas aéreas européias podem, a partir de agora, contar com um importante instrumento para operações a partir do lucrativo mercado do aerporto de London City.”

O EMBRAER 170 realizará a aproximação íngreme mediante o uso de um software desenvolvido no atual sistema fly-by-wire, o que representa melhor qualidade de vôo e controle, além de carga de trabalho reduzida para o piloto, com peso e custo de manutenção menores. O alcance da aeronave (superior a 750 milhas náuticas ou 1.389 km) abrange todas as rotas atuais operadas a partir do LCY, proporcionando às empresas aéreas maior flexibilidade para acrescentar novos destinos em um mercado de grande retorno.

As empresas aéreas e o próprio aeroporto de London City aguardaram com ansiedade a certificação do EMBRAER 170 para operar a partir deste aeroporto, pois a frota de jatos atualmente em serviço no LCY tem quase 15 anos de vida e, agora, um novo jato no estado-da-arte é uma alternativa para substituir aquelas aeronaves, oferecendo confiabilidade, desempenho, conforto e ótimo custo-benefício.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP