Justiça do RJ suspende venda da Varig para dono de jornais

221

Uma comissão de juízes suspendeu nesta quarta-feira a venda e o usufruto de ações da Fundação Ruben Berta (FRB-Par), controladora da Varig, para a Docas Investimentos, do empresário Nelson Tanure, proprietário do Jornal do Brasil e da Gazeta Mercantil.

O Ministério Público do Rio de Janeiro havia pedido à Justiça reavaliação da venda de 25% das ações ordinárias da FRB-Par à Docas por US$ 112 milhões, negócio anunciado na noite de segunda-feira.

Assim, a Docas não poderá fazer nenhuma deliberação na Varig até que os credores julguem a mudança no controle da empresa áerea em assembléia marcada para o dia 19.

A decisão da Justiça acontece no mesmo dia em que a Varig anunciou que vai reintegrar seis aviões à sua frota, que subiria para 69 aeronaves. Em meio à grave crise financeira, a companhia aérea viu despencar sua participação de mercado ao longo deste ano, com a paralisação de jatos por falta de recursos para manutenção.

Segundo nota da Varig, no dia 17 entrará em operação um Boeing 777, para vôos de longo curso. Depois, no dia 21, voltam a operar três Boeing 737-300, com outros dois aviões do mesmo modelo retornando à frota no dia 28, “todos incorporados a linhas domésticas e internacionais na América Latina”.

“A reintegração das aeronaves já faz parte do projeto de reestruturação da companhia e foi realizada dentro do planejamento de Docas, nova controladora do Grupo FRB-Par”, informou a Varig antes da decisão do comitê de juízes da 8a vara Empresarial do Rio de Janeiro, que comanda a recuperação judicial da companhia aérea.

Procurada após a suspensão da venda da FRB-Par à Docas, a assessoria de imprensa da empresa aérea informou que a decisão judicial “não altera em nada o operacional da Varig”.

Os credores da Varig, que tem dívida de mais de R$ 8 bilhões, votam em assembléia no dia 19 o plano de recuperação judicial, que agora inclui a participação da Docas. Antes, o plano previa a entrada da portuguesa TAP no capital da companhia aérea brasileira.

No dia 21 é a vez da Justiça dos Estados Unidos analisar pedido de arresto de aeronaves da Varig por empresas de leasing.

FONTE: Invertia – Invertia – São Paulo/SP