Pilotos britânicos discutem segurança armada em vôos

239

A companhia aérea British Airways está realizando reuniões emergenciais com pilotos hoje para discutir a colocação de seguranças armados em seus aviões depois que vôos internacionais foram cancelados na semana passada em temor a ataques similares aos do 11 de Setembro.

A aeroporto de Heathrow, em Londres, estava sob um “alto nível de segurança com altos níveis de patrulha policial”, segundo um porta-voz do aeroporto, mas a British Airways disse que não esperava alertas de terrorismo forçarem cancelamentos de vôos hoje.

Policiais armados faziam guarda no terminal quatro do Heathrow, onde o vôo 223 da British Airways deveria decolar em direção ao aeroporto Dulles, em Washington, às 13h (horário de Brasília).

O vôo foi cancelado na quinta-feira (1º) e na sexta-feira (2) por causa de alertas de segurança e foi atrasado no sábado (3) e ontem por causa de novas checagens de segurança.

Outro vôo de Londres, para Riad (capital da Arábia Saudita), foi cancelado diversas vezes na semana passada, por causa de alertas de segurança. Vôos do México e França para os EUA também foram cancelados no período de festas de final de ano por temor a ataques.

Insatisfação

Um porta-voz da British Airways disse que os vôos 263 para Riad e 223 para Washington deveriam “operar normalmente” do Heathrow hoje.

Os cancelamentos da British Airways provocaram suspeitas entre alguns pilotos que dizem que a companhia está insatisfeita com as exigências dos EUA para ter seguranças armados a bordo em alguns vôos.

O secretário-geral da Associação Britânica de Pilotos de Companhias Aéreas (Balpa, na sigla em inglês), Jim McAuslan, declarou que suspeitava que os cancelamentos da semana passada eram resultado de uma “decisão política para fazer a British Airways a aceitar a segurança armada”.

Um porta-voz da Balpa declarou que o sindicato de pilotos se reuniria com autoridades da British Airways hoje para discutir o assunto.

Defesa

O Reino Unido anunciou na semana passada que seguranças armados seriam colocados em alguns vôos como “última via de defesa” contra eventuais sequestradores suicidas. O anúncio provocou raiva na Balpa, que disse que não queria armas nos aviões.

Mas dois ministros do governo britânico negaram rumores de que os vôos foram cancelados na semana passada por causa de uma disputa política sobre seguranças armados, dizendo que os cancelamentos foram justificados por “inteligência específica”.

“Quando há um delicado julgamento a ser realizado, ficamos do lado da segurança do passageiro, e ninguém nos perdoaria se falhássemos em fazer isso”, declarou o ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jack Straw.

FONTE: Folha Online – Fernando Valduga, Aviação Bras – Porto Alegre/RS