Setor de Aviação Executiva prevê crescimento em 2005

132

Com a expectativa de que o setor de aviação executiva cresça 5% este ano no Brasil, o presidente da Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG), Anderson Markiewicz, abriu oficialmente hoje (31 de março) a 3a LABACE – Latin American Business Aviation Conference and Exhibition, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. O Evento é organizado pela ABAG e pela NBAA – National Business Aviation Association, maior associação de aviação executiva do mundo.

Markiewicz destacou que, apesar da previsão do setor retomar o ritmo de expansão verificado até 2001, a aviação executiva ainda esbarra em uma série de empecilhos para crescer. “A desvalorização cambial, a falta de incentivo para a compra de aeronaves – como existe nos Estados Unidos – e o custo elevado do combustível de aviação são alguns dos fatores que impedem o setor de ter uma expansão mais forte e sustentada”, afirmou o presidente da ABAG.

Para permitir o fortalecimento do setor, segundo o presidente da ABAG, é necessário o País ter uma redução e racionalização dos preços do combustível de aviação – e igualmente da carga tributária -, agilização aduaneira, ampliação dos aeroportos centrais e mecanismos de incentivo à compra de aeronaves. “O Brasil é um grande mercado potencial para a aviação executiva, e precisamos apenas eliminar alguns entraves”, destaca Markiewicz.

Uma comparação com o mercado dos Estados Unidos demonstra que, embora o produto bruto nacional daquele País seja 10 vezes maior do que o Brasil, a frota norte-americana é 17 vezes superior. Ainda assim, o Brasil conta com a segunda maior frota de aviação executiva do mundo, com 1.400 aeronaves, das quais 920 são jatos e turbo-hélices. Na América Latina, o México conta com 650 aeronaves e a Colômbia, com 310 unidades.

Ed Bolen, presidente da NBAA, destacou que a aviação executiva vem crescendo em todo mundo. No ano passado, as vendas situaram-se em torno de US$ 11,9 bilhões, com um incremento de 19% em relação a 2003. ¨”Isso é um reflexo da estabilização e recuperação da economia, em países como o Brasil e os EUA¨, afirmou Bolen, ao lembrar que o número de aeronaves voando registrou um incremento de 10% no ano passado.

O crescimento do número de aeronaves e o conseqüente aumento do tráfego aéreo, segundo Robert A. Sturgell, administrador-adjunto da Federal Aviation Administration, abrem novos desafios para o Global Aviation System (Sistema de Aviação Global), como a necessidade de aumentar a capacidade de fluxo no ar e em terra, mantendo condições de segurança. Sturgell citou o sistema CNS – ATM (Communications, Navigation, Surveillance – Air Traffic Management) como chave para o desenvolvimento do setor.

Durante a cerimônia de abertura da LABACE, o construtor de aeronaves e fundador da Sociedade Construtora Aeronáutica Neiva, Jose Carlos Neiva, foi premiado como personalidade emérita da aviação executiva.

A 3a LABACE acontece de hoje a sábado (02 de abril) no Transamérica Expo Center, contando com a participação de 92 empresas expositoras. Uma exposição de 21 aeronaves acontece simultaneamente ao evento no aeroporto de Congonhas.

FONTE: Aviação Brasil / Labace – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP