Honeywell apresenta sistema de tráfego anti-colisão

1088

Para suprir as necessidades das companhias aéreas em aumentar a segurança, reduzir custo operacional e ganhar eficiência, a Honeywell anunciou hoje a primeira certificação do segmento e disponibilidade imediata de seu avançado sistema de tráfego anti-colisão (TCAS) com SmartTraffic.

O TCAS com SmartTraffic melhora a consciência da situação do tráfego e aumenta a segurança e a eficiência do voo, oferecendo significativa redução de custo para as companhias aéreas. A Airbus é a primeira a certificar o novo sistema e planeja oferecer essas funções avançadas em seus modelos A320, A330 e A340.

“O novo sistema é um passo importante em direção à modernização do gerenciamento do tráfego aéreo – Air Traffic Management (ATM) – o qual é projetado para fazer com que o voo seja mais seguro, ambientalmente mais amigável e mais acessível,” diz John Bolton, presidente da Honeywell da unidade de transporte aéreo e negócio regional. “As companhias aéreas que utilizam o TCAS com SmartTraffic estarão voando aeronaves equipadas com o mais avançado sistema anti-colisão do mundo. Isto aumentará consideravelmente a eficiência de seu voo e rota, bem como reduzirá seus custos substancialmente.”

Aproveitando a tecnologia de Transmissão de Vigilância Automática (Automatic Dependent Surveillance-Broadcast – ADS-B), o TCAS com SmartTraffic encapsula e entrega vigilância híbrida super avançada e funcionalidades sobre a situação do tráfego aéreo (Airborne Traffic Situational Awareness – ATSAW), proporcionando uma visualização mais intuitiva sobre o que está ocorrendo no plano do espaço aéreo.

Para melhor aproveitamento do sistema é necessário a realização de uma atualização de software no atual sistema de tráfego anti-colisão (TCAS) da companhia aérea, sem precisar repor ou revisar equipamentos já existentes. Esse sistema é único e seu grande diferencial é que não requer novo hardware TCAS, proporcionando uma economia de mais de 25 mil dólares por aeronave se comparado aos produtos tradicionais dos concorrentes.

O alto custo do combustível é a principal ameaça aos negócios de uma companhia aérea.  Por exemplo, cada centavo de aumento no preço do combustível gera um de cerca de 175 milhões de dólares para a companhia aérea, segundo a Associação de Transportes Aéreos. Para reduzir os custos e manter a lucratividade, a companhia aérea deve encontrar caminhos mais eficientes. O sistema TCAS com SmartTraffic oferece uma solução para este problema grave, permitindo que as empresas reduzam custos operacionais enquanto aumentam a segurança do voo.

Por exemplo, o TCAS com SmartTraffic permite que a companhia aérea incorpore o Procedimento Em Trilha (In Trail Procedure – ITP)  num voo transatlântico. O ITP é desenvolvido para reduzir o espaço entre a aeronave e a área remota oceânica, permitindo que o avião obtenha uma rota mais eficiente enquanto mantém a segurança, ainda distante do tráfego de outras aeronaves.

Com o sistema, os pilotos podem escolher uma altitude mais eficiente durante uma rota de voo transatlântico e se adaptar àquela rota mais rápido que com o uso de sistemas TCAS tradicionais. Apenas a habilidade de simplesmente mudar de rotas pode permitir economia anual de mais de 100 mil dólares com combustível por aeronave, o que pode chegar a milhões de dólares com uma frota inteira.

O TCAS com SmartTraffic também realça a distância visual em perspectiva para que mais aeronaves possam pousar com segurança num curto espaço de tempo. Isto pode substancialmente melhorar a eficiência do tempo e o desempenho de manobra, beneficiando tanto os passageiros quanto a companhia aérea.

O TCAS com SmartTraffic utiliza ADS-B, um sistema de alta precisão baseado em satélite, que oferece mais informação que o simples sistema TCAS. Ele melhora a segurança do voo de forma geral e aumenta a capacidade da aeronave ao transmitir automaticamente a posição do avião e outra informação relevante para a estação terrestre, bem como de outra aeronave sem a atuação do piloto.

O sistema TCAS da Honeywell atende aos padrões recomendados pela Organização Internacional de Aviação Civil e é reforçado pela Associação das Companhias Aéreas Europeias como uma atualização de segurança global para todos os sistemas TCAS. O sistema está em conformidade com o mandato de mudança 7.1 da Europa e inclui uma tecnologia de vigilância híbrida, que melhora o conhecimento situacional de longo alcance e reduz o risco de uma colisão no ar, abordando riscos potenciais de segurança e providenciando um curso de ação claro.