Infraero desenvolve técnicas para diminuir riscos de colisão com aves | Portal Aviação Brasil
Aeroportos (Noticias)

Infraero desenvolve técnicas para diminuir riscos de colisão com aves

Infraero desenvolve técnicas para diminuir riscos de colisão com aves

aroporto sbgr1

A presença de aves nas proximidades dos aeroportos pode causar acidentes aéreos. Na maioria dos casos, os pássaros são atraídos pelo lixo acumulado e não descartado corretamente pelas comunidades vizinhas ao aeroporto. A redução da presença de aves na área do aeroporto de forma ambientalmente responsável é uma diretriz da Infraero.

Para diminuir os riscos de acidentes, e melhorar a segurança, os aeroportos da Infraero têm um Plano de Manejo de Fauna, aprovado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que contempla diversas técnicas para controle da fauna local.

Em alguns aeroportos, como o Galeão (RJ), Porto Alegre (RS), Joinville (SC), Confins (MG), Pampulha (MG) e Vitória (ES), empresas privadas foram contratadas para trabalhar o manejo de fauna. Em outros nove aeroportos – Manaus, Belém, Recife, Maceió, Salvador, Cuiabá, Congonhas, Aracaju e Fortaleza – o trabalho é realizado pelo convênio entre a Infraero e a Universidade de Brasília (UnB). Firmado desde 2009, esta parceria trabalha para monitorar as ações propostas para cada aeroporto, desenvolvendo cientificamente novas tecnologias e pesquisa sobre como reduzir ou eliminar os acidentes aeronáuticos decorrentes de incidentes com a fauna.

As ações levam em conta o contexto ambiental de cada região. Em alguns aeroportos são utilizados cães, falcões e gaviões treinados como forma de afastar as aves. Também podem ser utilizados ruídos que provoquem incômodo às aves. Armadilhas também são utilizadas para os animais terrestres, como mamíferos e répteis, que podem causar acidentes em solo.

No Galeão, por exemplo, é utilizada a técnica de falcoaria, bem como em Joinville, Pampulha, Confins e Porto Alegre. Já em Belém, a técnica atualmente utilizada é com cães, que afugentam os pássaros do sítio aeroportuário; e em Manaus, a UnB realiza o monitoramento dos urubus que sobrevoam o espaço aéreo na área operacional e entorno.

As técnicas são variadas e mutáveis. Os profissionais da área de segurança da Infraero e da área ambiental da UnB analisam as situações e propõem mudanças, sempre que necessário. O setor de Licenciamento Ambiental da Infraero reitera que a falta de saneamento em regiões próximas ao aeroporto, no entanto, continua sendo um dos maiores problemas a ser combatido para minimizar a presença de animais nas áreas dos aeroportos.

Aeroportos (Noticias)

More in Aeroportos (Noticias)

Raízen inicia operações de abastecimento no Aeroporto de Canela

Aviação Brasil (Redação)20 de dezembro de 2016

Linktel amplia rede Wi-Fi criptografada para os turistas nos aeroportos brasileiros

Aviação Brasil (Redação)14 de dezembro de 2016

Azul e Gol mudam para o Terminal 2 do Rio – Galeão

Aviação Brasil (Redação)23 de novembro de 2016

US Preclearance no Rio, agora depende do Governo Brasileiro!!

Aviação Brasil (Redação)6 de novembro de 2016

Copyright © 2016 Aviação Brasil - AB Portais e Serviços em Tecnologia da Informação - (11) 2594-9806