Pluna (Uruguai) | Portal Aviação Brasil
Empresas Aéreas

Pluna (Uruguai)

Pluna (Uruguai)

A PLUNA, Primeras Lineas Uruguayas de Navigazion Aerea, iniciou voos em 1935 utilizando dois De Havilland DH.90 Dragonfly. O primeiro voo ligou Montevidéu a Salto e Paysandu em 20 de novembro de 1936.

Em 1943, a empresa suspendeu as operações devido a II Guerra Mundial. Em 4 de maio de 1948 abriu sua primeira rota internacional com um Douglas DC-3 ligando Montevidéu a Porto Alegre.

Em 1951 o Governo Uruguaio comprou 83% das ações da empresa e recomeçou os vôos no pós-guerra voando com De Havilland Herons e Douglas DC-3. Os Douglas DC-3 foram utilizados até o final dos anos 60. Em 1955 a Pluna chegou na cidade de São Paulo. Em 1958 a empresa introduziu três novas aeronaves a frota, sendo ela do modelo Vickers Viscount 769D para utilizar nas rotas de Montevidéu para Buenos Aires (Aeroparque), Assunção, Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro. As aeronaves Vickers eram procedentes da VASP, Viação Aérea de São Paulo.

Em 1970 a Pluna entrou na era do jato colocando em operação o Boeing 737-200 e comprou novamente aeronaves que foram usadas pela VASP, como o Viscount 827, que chegaram para substituir o modelo 769 que sofrera acidente no início dos anos 70. Esta aeronave operou até 1982 serviços entre Punta del Este e Buenos Aires (Aeroparque). Em 1970 os voos domésticos no Uruguai passaram a ser realizados pela TAMU, Força Aérea Uruguaia, com as aeronaves Douglas DC-3. Em novembro de1978 a Pluna comprou dois Boeing 727-030Q da Lufthansa. A aeronave operou várias rotas da Pluna, com exceção da Punta del Este – Buenos Aires, e substituiu o Viscount 827. Até 1980 a Pluna operou quatro Boeings 727-030Q.

Em 1981 a Pluna alugou da Aerolineas Argentinas um Boeing 707 para operar as rotas de Curaçao e Madrid. Em 1983 os Boeing 727 e os Viscount foram substituídos pelos Boeing 737-200. Em 1984 operava 6 voos semanais na rota Montevidéu – Porto Alegre – São Paulo (Congonhas) – Rio de Janeiro, mais dois voos terminando em Congonhas além de dois outros que operaram para a Europa, via Galeão. Sua frota em 1987 era composta por 2 Boeing 707 e 2 Boeing 737-200. Em 1989 recebeu outro Boeing 737-200 que estava alugado a Transavia.

Para a rota de Madrid a Pluna contratou um Boeing 767-300ER da Spanair no ano de 1992. Em 1º de julho de 1994 passou a ser utilizado o Douglas DC-10-30 da Varig, PP-VMW.

Em junho de 1995 a Varig adquiriu 51% das ações da Pluna. A imagem visual da empresa sofreu mudanças, com um ar de modernidade nas aeronaves. Um Boeing 737-200, CX-FAT, recebeu uma pintura comemorativa da empresa, com o design produzido pelo artista Carlos Paez Vilaro. Em 15 de novembro de 1995 iniciou voos no trecho Montevidéu – Belo Horizonte, voos que duraram pouco tempo. Em 1998 passou a efetuar voos não regulares para Salvador e recebeu outros dois Boeing 737-200, sendo um no mesmo ano e o outro em 1999.

No ano 2000 recebeu um Boeing 767-200ER e retirou o Douglas DC-10-30 de operação. Em dezembro de 2001 recebeu um Boeing 737-300 e passou a operá-lo nas rotas de São Paulo e Buenos Aires. Em 8 de dezembro de 2002 recebeu um Boeing 767-300ER no qual passou a operar para Madrid, devolvendo assim para a Varig o Boeing 767-200ER. Em 2003 recebeu um Boeing 757-200ER e um ATR 42-300. Esta aeronave iniciou voos na Ponte Aérea Montevidéu – Buenos Aires em 2004. Em 27 de junho de 2005 voltou a ser estatizada, saindo do controle da Varig, e voltou a operar na rota Montevidéu – Porto Alegre.

Em janeiro de 2007 o montante de 49% das ações que ainda estavam de posse da Varig foram vendidas a Leadgate Investments com a incorporação de 15 Bombardier CRJ 900. Em 11 de dezembro a Pluna iniciou ligações entre Montevidéu e Córdoba, na Argentina, três vezes por semana.

Em dezembro daquele ano a Pluna colocou em vigor sua nova malha de voos. As cidade de Buenos Aires, Rio de Janeiro, Córdoba, Florianópolis, Punta del Este e Assunção ganharam mais frequências semanais. As novas frequências foram atendidas com a chegada de um Boeing 737-200 que voava na Lan Airlines. As aeronaves Bombardier CRJ 900 chegaram em fevereiro de 2008 para atender a novas frequências. Devido o retorno ao leasor do Boeing 767-300ER, a Pluna deixou de operar na rota Montevidéu – Rio de Janeiro – Madrid.

Em fevereiro de 2009 aumentou de seus voos nas cidades de Assunção (4 por semana para 7 semanais), Córdoba (4 para 6 semanais), Santiago (7 para 11 semanais), São Paulo (14 para 17 semanais) com uma frota de 7 Canadair CRJ 900. Em 2010 tornou diário o voo de Curitiba e recebeu outros 2 CRJ 900. Um ano depois o Brasil era responsável por 60% dos destinos da companhia. Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Foz dos Iguaçu, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, eram os destinos da empresa que em 2012 deixou de operar.

 

Empresas Aéreas

More in Empresas Aéreas

THY Turkish Airlines (Turquia)

Aviação Brasil (Redação)13 de janeiro de 2017

Latam Airlines Brasil (Brasil)

Aviação Brasil (Redação)8 de janeiro de 2017

Gol Transportes Aéreos (Brasil)

Aviação Brasil (Redação)7 de janeiro de 2017

US Airways (USA)

Aviação Brasil (Redação)29 de dezembro de 2016

Copyright © 2016 Aviação Brasil - AB Portais e Serviços em Tecnologia da Informação - (11) 2594-9806