Aeroporto de Congonhas passará por obras nas pistas de pouso e decolagem

143

O Aeroporto de Congonhas passará neste primeiro semestre por algumas obras nas suas duas pistas de pouso e decolagem (principal e auxiliar). O objetivo é melhorar as condições operacionais, aumentando o coeficiente de atrito da pista e garantindo maior segurança de pousos e decolagens. O Aeroporto de Congonhas é o aeroporto com maior movimento de aeronaves do país.

A primeira obra será do pavimento da pista auxiliar, que está apresentando defeitos na sua superfície, como trincas transversais e longitudinais e pontos de desagregação.

Visando a garantia da segurança das operações na pista auxiliar, faz-se necessário uma intervenção, que consistirá nos seguintes serviços: fresagem (remoção de camada asfáltica existente), execução de acostamentos, tratamento das trincas, recapeamento, execução de grooving (ranhuras transversais ao pavimento que auxiliam no escoamento da água), construção de pistas de ligação, relocação de luminárias do balizamento noturno e sinalização horizontal.

O prazo para realização desses serviços será de 120 dias e, neste período, a pista auxiliar ficará interditada por 75 dias. Os serviços de execução de grooving serão realizados já com a pista liberada. Durante a realização da obra, será necessária a redução da capacidade da infra-estrutura do Aeroporto em função da ocorrência das operações de pouso de decolagem somente na pista principal, passando de 48 para 37 movimentos de aeronaves por hora.

A fim de evitar cancelamento de vôos, está sendo estudada, em conjunto com a ANAC, a possibilidade de ampliação do período de funcionamento do Aeroporto durante o prazo de execução da obra, que passaria a funcionar das 05h30 às 00h30.

Após o término dos serviços na pista auxiliar, está prevista uma intervenção na pista principal, que apresenta deficiência em relação às declividades transversais e longitudinais em alguns pontos, o que dificulta o escoamento superficial da água nesses trechos. Esta obra está em processo de licitação e objetivará a recuperação da geometria de toda a pista.

As condições de segurança das pistas de pouso e decolagem do Aeroporto de Congonhas são permanentemente avaliadas pela Infraero, que ainda efetua constantemente o desemborrachamento (procedimento de manutenção de remoção de borracha proveniente dos pneus das aeronaves nas operações de pouso) e o monitoramento das pistas através de medições de atrito. Os índices de atrito encontrados atualmente atendem aos requisitos exigidos nas normas aeroportuárias quanto à resistência à derrapagem.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP