Air France e KLM anunciam seus programas para a temporada de verão europeu

139

Novos destinos e freqüências demonstram a estratégia de crescimento das duas empresas, que em maio celebram dois anos de fusão. A Air France vai aumentar sua oferta de assentos em 5,6% em comparação à temporada de verão europeu do ano passado, e a KLM aumentará sua oferta em 5,5% em relação ao mesmo período de 2005.

Air France

Com aumentos de 6% na oferta de assentos por quilômetro nas rotas de longa distância, 6,3% nas rotas internacionais de médio percurso e 1,1% nas rotas dentro da França, a Air France terá como principais destaques nesta temporada de verão europeu:

Rotas de longa distância: a expansão da oferta em seus mercados mais ativos será de 11,4% na Ásia, 5,5% na América Latina e 19,7% no Oriente Médio. A Air France vai reforçar também sua presença na África (11%) e nos destinos com indústrias de petróleo, gás e minérios. Estes índices serão alcançados com aumento de freqüências ou utilização de aeronaves maiores.

Na China, a oferta de assentos crescerá para Pequim, com a chegada dos Boeing 777-300ER com três classes. Um segundo vôo diário para Hong Kong e Xangai será oferecido (dez vôos por semana para cada cidade), com os vôos para Xangai suplementados pelo vôo diário da China Eastern. O serviço de Paris para Guangzhou vai ser reformulado, com Air France e China Southern oferecendo três vôos semanais cada. No total, a Air France vai operar 47 vôos por semana entre Paris e a China.

Desde o último inverno europeu, a Air France vem oferecendo quatro destinos na Índia, com o lançamento dos cinco vôos semanais Paris-Bangalore. Eles se juntam aos vôos diários para Mumbai (antiga Bombaim), Madras e Delhi. Ao todo, o Grupo Air France-KLM oferece 36 vôos semanais para a Índia.

Nas rotas para o Brasil e a África do Sul, a Air France continuará com seus dez vôos semanais para São Paulo e quatorze para Johannesburg.

Nas rotas para o Golfo, freqüentadas principalmente por clientes das indústrias de gás e petróleo, há novas iniciativas. Como o Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle é importante ligação entre as cidades produtoras de petróleo norte-americanas e os países do Golfo, um segundo vôo diário Paris-Houston será oferecido. O vôo para Teerã será diário e o vôo para Riad vai passar a ser diário (quando for obtido direito de tráfego). Haverá mais vôos para Dubai (13 por semana) e para as rotas Dedicate (serviço executivo da Air France para clientes das indústrias de petróleo e gás): Malabo (quatro por semana), Nouakchott (seis por semana) e N’Djamena (cinco por semana).

Mais rotas entre os hubs da aliança SkyTeam: a Delta vai operar três dos quatro vôos entre Paris e Atlanta, e vai suspender um vôo diário entre Paris e Nova York, onde a Air France vai aumentar sua oferta operando um dos seis vôos diários com Boeing 747-400. O uso desta aeronave maior e melhores horários vão aumentar a oferta. Para Seul, a Air France vai melhorar o serviço em cooperação com a Korean Airlines, graças à introdução do Boeing 777-300. A segunda freqüência para a Cidade do México operada pela Air France vai passar a ser diária – 14 vôos por semana –, além dos sete operados pela Aeromexico.

A partir de junho, novas aeronaves serão utilizadas nas rotas para o Caribe Francês. Fort de France e Pointe à Pitre receberão o novo Boeing 777-300ER com uma cabine única. Eles serão progressivamente introduzidos até agosto e substituirão os Boeing 747-300, que serão retirados da frota da Air France.

Rotas internacionais de média distância: o crescimento será principalmente focado no Leste Europeu (9,2%) e na bacia do Mediterrâneo (6,5% no sul da Europa e 22,7% no norte da África).

Três novos destinos serão adicionados às rotas de médio percurso: Yerevan (Armênia), com três vôos semanais operados com Airbus 320 da Air France; Leipzig (Alemanha), com dois vôos diários operados pela Régional; e Katowice (Polônia), com três vôos por dia operados pela Brit Air.

Um segundo vôo diário para Zagreb (pela Régional) e para Kiev será adicionado às rotas oferecidas pela Air France. A rota Paris-Argel, que já conta com dois vôos diários partindo do Aeroporto de Orly, será acrescida de mais uma saída diária do Aeroporto de Charles de Gaulle. Também haverá mais vôos para Atenas (cinco por dia) e para Tel Aviv (dois por dia). A rota Nantes-London Gatwick será suspensa.

As sinergias entre a Air France e a KLM, especialmente nos vôos entre França e Holanda, continuam. Desde o último inverno europeu, estão sendo oferecidos vôos entre Eindhoven e Paris-CDG (pela Airlinair). As rotas Lyon-Amsterdã e Bordeaux-Amsterdã passarão a ser inteiramente operadas pela KLM, enquanto a Régional operará a freqüência Estrasburgo-Amsterdã. Os vôos de Paris para Billund serão operados pela KLM, via Amsterdã.

Nas rotas domésticas, o crescimento será estável: 1,1%. As mudanças serão essencialmente de aeronaves, já que o número de freqüências continuará o mesmo do ano passado. A oferta de assentos entre Paris-CDG e as províncias francesas será aumentada, especialmente para Brest e Clermont-Ferrand. A quarta freqüência lançada no ano passado entre Paris-Orly e Annecy será mantida. Nas rotas inter-regionais, Nice-Nantes terá uma partida matinal de Nantes e aeronave maior para operar os dois vôos diários.

KLM

Como resultado de ajustes nos horários dos vôos da KLM e de seus parceiros no Aeroporto de Amsterdã-Schiphol, aproximadamente 25 novas freqüências serão acrescentadas às rotas européias. London-Heathrow terá dez ao invés de nove vôos diários. Um sexto vôo diário será operado para Düsseldorf, Genebra, Copenhague, Munique, Milão, Oslo, Estocolmo e Zurique. Um quinto vôo diário será oferecido para Frankfurt, Glasgow e Gotemburgo. Um quarto vôo diário será adicionado para Aberdeen, Nice e Nuremberg. Um terceiro vôo diário estará disponível para Atenas e Istambul. Uma segunda freqüência diária será oferecida para Kristiansand. No final de maio, Kiev passa a receber 11 ao invés de sete vôos por semana. A nova rota para Billund será servida com três vôos diários da KLM cityhopper, operados com Fokker 70. Os vôos entre Amsterdã-Schiphol e as cidades francesas de Lyon, Nice, Toulouse, Marselha e Bordeaux serão inteiramente operados pela KLM.

KLM e Northwest vão aumentar consideravelmente o número de vôos conjuntos entre a Europa e a América do Norte. Os vôos da KLM entre Amsterdã e Nova York-JFK serão aumentados de onze para catorze. Os vôos para Newark passarão de sete para dez por semana, operados com Boeing 777 e Airbus 330. Vancouver terá sete ao invés de cinco vôos semanais, com MD-11 e Airbus 330. O Boeing 737 da PrivatAir configurado totalmente com Classe Executiva, utilizado desde 30 de outubro de 2005, continuará operando a rota Amsterdã-Houston da KLM, seis vezes por semana, complementando o serviço diário na mesma rota com Boeing 747.

Na América Central, serão doze o número de vôos para Bonaire. Além dos cinco vôos semanais, um sexto vôo para Aruba estará disponível em julho e agosto; a volta para Amsterdã será feita via Curaçao. O número de vôos de e para St. Maarten diminuirá de três para dois por semana.

Na África e no Oriente Médio, as freqüências para Addis Abeba e Khartoun vão aumentar de duas para três por semana. O Boeing 767 utilizado nestas rotas será substituído pelo Airbus 330. A partir de 28 de maio, os vôos de Amsterdã para Dubai vão passar de doze para catorze por semana, oferecendo aos passageiros dois vôos diários desde Schiphol. A rota entre Amsterdã e Entebbe iniciada no ano passado passará de três para quatro vôos por semana.

Na Ásia, a KLM vai passar a operar vôos para Chengdu, na China, com Boeing 777, duas vezes por semana em code-share com a China Southern. Um Boeing 747 Combi será utilizado permanentemente na rota para Xangai. Osaka será servida com um Boeing 777 durante a programação de verão. Na Índia, os três vôos semanais Amsterdã-Hyderabad, introduzidos no último inverno europeu, serão mantidos. A KLM voa ainda para as cidades indianas de Delhi, Mumbai e Bangalore.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade