Base Aérea de Natal comemora 64 anos

215

A Base Aérea de Natal (Bant) realizou ontem um cerimônia que marcou o seu aniversário de 64 anos. Realizada ao mesmo tempo em que está ocorrendo a Reunião de Aviação de Transportes (RAT), uma das operações de maior vulto da Força Aérea Brasileira, o aniversário da Bant relembra também a importância histórica e estratégica que a base possui até hoje. Esteve presente todo o corpo militar da base e também alguns integrantes da RAT que prossegue até o próximo dia 11.

O comandante da Bant, coronel-aviador Luiz Fernando de Aguiar, destaca que a base de Natal é um ponto estratégico desde a Segunda Guerra Mundial, quando foi criada com o nome de Trampolim da Vitória. A proximidade com a Europa e África facilitaram a escolha da capital do RN para a construção da base. Porém, até hoje, o espaço militar mantém o seu prestígio sendo responsável pelo treinamento de pilotos de caça e, a partir de dezembro, também de helicópteros.

A posição da Bant facilita uma série de treinamentos e realização de eventos como a RAT. O coronel Aguiar destaca que o clima, como poucas oscilações de temperatura, além da proximidade com o estande de tiros de Maxaranguape a com o mar facilita a execução de exercícios de simulação de combate tanto sobre a terra quanto sobre o oceano. Atualmente, a Bant conta com 2 mil civis e militares em atuação. A partir da chegada do esquadrão para o treinamento de pilotos de helicóptero, este número deve chegar a 2,1 mil pessoas.

No último sábado, a Bant realizou a exposição aeronáutica conhecida como ‘‘Portões Abertos’’. O evento contou com a participação de milhares de pessoas e foi avaliado de maneira positiva pelo comandante da Bant. ‘‘A nossa intenção é apresentar à comunidade, as atividades que são realizadas na base para que as pessoas vejam como trabalhamos’’. Para Aguiar, este foi um momento de integração bastante positivo tanto para os militares quanto para à população que visitou a Base.

Para a realização da RAT, estão reunidos em Natal cerca de 600 militares, entre pilotos, navegadores, mecânicos e pessoal de apoio. Todos estão sendo avaliados pela Quinta Força Aérea (V FAe) nos procedimentos, nas técnicas e nas táticas de emprego, utilizados pelos esquadrões da Aviação de Transporte, mediante competições aéreas, terrestres e de manutenção.

A RAT consiste em disputas que simulam operações de lançamento de carga e de reabastecimento em vôo de aviões de caça, divididas em dois torneios: Transporte Aeroterrestre (Taet) e Reabastecimento em Vôo (Revo). No primeiro, as aeronaves voam como em uma missão de combate em ambiente hostil: à baixa altitude, com o objetivo de não serem detectados pelo radar, e lançam pessoal e carga em pontos previamente estabelecidos, terrestres e aquáticos. Este tipo de treinamento com lançamento de cargas – tanto terrestre quanto aquático – serve para aprimorar as técnicas de entrega de cargas.

Já no Revo, as aeronaves realizam abastecimento de outras em pleno vôo. Neste tipo de disputa é avaliada a sincronia precisa e coordenada entre os caças e os reabastecedores. Este treinamento é de fundamental importância em todas as fases de emprego de uma Força Aérea, responsável pela ampliação do poder aéreo.

FONTE: Diário de Natal – Ana Amaral – São Paulo/SP