Boeing fala do progresso contínuo do 787

200

Boeing tem tido um progresso sólido no desenvolvimento do novo avião 787 Dreamliner. Mike Bair, o vice presidente e gerente geral do programa do 787, falou com jornalistas hoje no Farnborough Air Show e disse que os esforços de desenvolvimento estão terminando e que a produção do novo e eficiente jato já começa em diversas fábricas pelo mundo.

“Todos os nossos parceiros estão terminando seus desenhos, instalando e qualificando instrumentação, assim como testando protótipos”, disse Bair. “E para os itens long-lead , começamos a produção das primeiras partes.

“Há três semanas, no Japão, eu tive a honra de participar no início de uma grande montagem na nova fábrica de 787 das Indústrias Pesadas Fuji. Nossos primeiros elementos do sistema de produção foram entregues”.

Bair também falou sobre o progresso de um outro aspecto do programa, o desenvolvimento do 747-400 Large Cargo Freighter (LCF), que será usado para transportar grandes elementos estruturais da Itália e do Japão para os Estados Unidos. O primeiro LCF está sendo finalizado em Taiwan e seu primeiro vôo está programado para o próximo mês.

Além disso, Bair destacou as vantagens que as novas ferramentas digitais fornecidas pela Dassault Systemes irão ter quando o 787 estiver operando.

“Nós vamos entregar digitalmente os documentos de manutenção para as linhas aéreas”, ele disse. “A versão digital do que costumava ser volumes e mais volumes de documentação impressa será intuitiva e interativa, facilitando a condução de diagnóstico de defeitos e do entendimento dos métodos de conserto por parte dos mecânicos”.

“É realmente tão fácil como apontar para uma parte do avião e clicar. As ferramentas digitais permitirão que eles entendam a estrutura, os sistemas e os reparos pré-aproados. Também, se a linha aérea quiser, sua equipe de manutenção pode manter um histórico de reparos prévios no mesmo banco de dados, criando um documento específico para cada avião, sempre atualizado”.

Bair comentou que as novas ferramentas e as vantagens oferecidas pelo 787 não só agregam valor às linhas aéreas, mas também apresentam desafios para seus funcionários.

“Criar um novo avião é um trabalho pesado”, ele disse. “Precisa ser assim, senão não estamos criando o melhor produto possível. Nós trabalhamos diariamente. O principal é ter as pessoas certas que achem as soluções que precisamos para honrar nosso compromisso com nossos clientes e é exatamente isso que estamos fazendo”.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade