China Aviation Supplies Import and Export Groupo assina acordo para 150 aviões da família A320

187

A Airbus está estabelecendo um novo e significativo recorde em seus 20 anos de cooperação com a indústria chinesa assinando um acordo geral visando a venda de 150 aviões da Família A320 para a China Aviation Supplies Import and Export Groupo (CASGC), durante a visita do primeiro ministro Wen Jiabao à França.

O acordo geral foi assinado em Paris com a presença dos presidentes Li Hai e Gustav Humbert, respectivamente da CASGC e da Airbus, além dos primeiros ministros Wen Jiabao da China e Dominique de Villepin da França.

A encomenda tem o valor total de cerca de 10 bilhões de dólares e compreende 150 aviões A319, A320 e A321, a maior encomenda já recebida pela Airbus na China. Os 150 aviões serão entregues a 6 empresas chinesas, incluindo a Air China, China Eastern Airlines, China Southern Airlines, Sichuan Airlines, Shenzhen Airlines e Hainan Airlines.

“Desde que foi introduzida no mercado chinês em 1995, a Família A3209 foi colocada em operação por 10 empresas locais com um total de 216 aviões, e contando por 2/3 dos aviões Airbus em nosso país e 1 / 4 das aeronaves em operação em nosso país. A demanda por esses aviões modernos e econômicos tem crescido rapidamente em nosso país”, disse Li Hai presidente da CASGC. “Estamos muito satisfeitos de assinar esse acordo recorde com a Airbus e de ser parte desse histórico evento. Esperamos por uma relação ainda maior com a Airbus e aumentar nossos serviços aos clientes chineses de aviões Airbus”.

“Estamos orgulhosos de vermos esse sucesso de negócios na China, que não só indica forte demanda e crescimento rápida desse mercado, mas também representa um voto de confiança em nosso produto”, disse Gustav Humbert presidente da Airbus. “Esse acordo de hoje é a melhor maneira de celebrarmos nossos 20 anos de cooperação com a China. Continuaremos a oferecer a nossos clientes chineses a melhor família de aviões e total apoio técnico para assegurar uma operação rentável e confiável a nossos aviões na China, ao mesmo tempo que aumentamos nossa cooperação entre a indústria chinesa e a Airbus”.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade