Copa-Continental supera oferta de grupo brasileiro pela Avianca

275

Uma parceria entre a norte-americana Continental Airlines e a Copa Airlines, do Panamá, fez uma contraproposta para adquirir a Avianca, disse nesta quarta-feira um credor da companhia aérea colombiana, que está em concordata.

O grupo brasileiro Sinergy, dono da Ocean Air, havia anunciado em março um acordo com os acionistas da Avianca em que injetaria US$ 64 milhões e assumiria dívidas de US$ 300 milhões para ficar com 75% da empresa da Colômbia.

A venda da Avianca precisa de aprovação do tribunal de falências de Nova York, onde a companhia entrou com pedido de concordata há cerca de 1 ano para renegociar cerca de US 269 milhões em dívidas.

A Continental Airlines já havia demonstrado interesse pela Avianca.

“A oferta da Copa-Continental é superior”, disse Alberto Padilla, chefe do sindicato colombiano de pilotos ACDAC, em entrevista a uma rádio local. Ele participa de um comitê de sete credores com o qual a Avianca está tentando renegociar dívidas sob supervisão da Justiça dos EUA.

A Sinergy afirmou na quarta-feira que não vai melhorar a proposta de compra da Avianca. “Não vamos aumentar a nossa oferta porque acreditamos que a empresa não seria interessante por um valor maior”, disse a jornalistas, em São Paulo, o empresário que controla a Sinergy, German Efromovich.

“Se eles (Continental e Copa) ganharem, parabéns. Eles terão que administrar a Avianca”, disse Efromovich. Ele afirmou que existe uma multa por quebra de contrato caso a Avianca seja vendida para outro grupo, mas não deu detalhes.

A Avianca afirmou que divulgará comunicado relacionado à Copa Airlines e Continental ainda na quarta-feira.

“O que não queremos é que as pessoas pensem que já fechamos acordo com a Copa (…) O que temos é um acordo preliminar”, disse Padilla, do sindicato ACDAC. Ele não esclareceu o valor da proposta feita por Continental e Copa e se esse pacto é exclusivamente com o seu sindicato ou com o comitê de credores inteiro.

“Acho que a Continental e a Copa são duas empresas que representam mais valor agregado para a Avianca. O apoio que teria da sétima maior companhia aérea do mundo (Continental) é algo que acrescenta valor para a empresa”, disse Padilla. “Não sei sobre o apoio da Ocean Air”, acrescentou.

A Avianca é uma das mais antigas companhias aéreas do mundo e faz cerca de 290 vôos domésticos e internacionais por dia. A companhia aérea tem frota de 36 aviões e emprega aproximadamente 5.000 pessoas.

O pedido de concordata nos EUA foi possível porque a Avianca tem uma subsidiária norte-americana. A empresa colombiana tem até o final de abril para apresentar um plano de reestruturação à corte de falências nos EUA, mas pode pedir prorrogação do prazo.

FONTE: Reuters Investor – Fernando Valduga – Porto Alegre/RS

Publicidade