Copa Airlines terá vôo diário em novo horário no Rio de Janeiro

328

A Copa Airlines anuncia novidades em suas freqüências do Rio de Janeiro. A partir de 2 de junho, os vôos da companhia passam a decolar do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) uma vez por dia, às 12h25. A mudança facilita ainda mais os deslocamentos para cidades da América Central, do Norte e do Caribe, por meio de conexões imediatas pela Cidade do Panamá. Hoje, são seis freqüências – todos os dias, exceto sexta-feira – que partem às 4h25.

O vôo CM 872 chegará ao Aeroporto Internacional de Tocumen, no Panamá, às 17h50. O retorno, pelo vôo CM 873, acontecerá nos mesmos dias, às 20h50, com aterrissagem na capital fluminense às 6h15. A rota tem cerca de sete horas de duração. Os horários são locais e os vôos operados por aviões Boeing 737-700, com capacidade para 124 passageiros (12 na classe executiva e 112 na econômica).

“A mudança amplia as possibilidades de conexões para as Américas, especialmente para os destinos norte-americanos. Sem contar que se trata de uma opção de horário mais segura e conveniente para os passageiros”, assegura Alexandre Camargo, diretor geral da Copa para o Brasil. No caso dos Estados Unidos, as tarifas são bem mais baratas que as da concorrência, sem contar a vantagem de não precisar fazer conexão em São Paulo. As aeronaves chegarão às 23h58 em Los Angeles (US$ 917), às 0h10 em Miami (US$ 747), às 0h45 em Washington D.C. (US$ 996) e às 2h27 em Nova York (US$ 976).

No caso da América Central e Caribe, os vôos são, em média, três horas mais rápidos que os das rotas concorrentes via Miami, graças ao Hub das Américas da companhia panamenha na Cidade do Panamá. Além disso, as bagagens são despachadas até o destino final e as tarifas saem a partir de US$ 906.

A Copa Airlines opera atualmente mais de 116 vôos diários para 39 destinos de 21 países das Américas do Norte, Central, do Sul e do Caribe. Oferece também aos passageiros outros 120 destinos internacionais com os acordos de code share com a Continental Airlines e outras empresas aéreas.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP