Decisão do governo dos EUA amplia aliança de empresas aéreas

146

O departamento também aprovou em princípio o pedido da United e da Continental para formar, com a Lufthansa e a Air Canada, uma aliança para operar entre a América do Norte e a Europa.

Comentando a decisão, o presidente, CEO e presidente do Conselho da United Airlines, Glenn Tilton, destacou as vantagens que ela trará para consumidores e as comunidades servidas pelas empresas. “Os consumidores terão maiores oportunidades de escolha, tarifas mais baixas e acesso melhor a mais partes do mundo, por meio da United, Continental e seus parceiros da Star Alliance”, afirmou.

Tilton acrescentou: “A partir da aprovação definitiva dos pedidos, as empresas poderão oferecer redes mundiais mais eficientes e completas. Isso melhorará o quadro competitivo do transporte aéreo. Queremos agradecer à equipe do Departamento de Transportes pela ampla análise feita sobre a situação e sua decisão em princípio favorável ao pedido”.

A partir da liberação do cumprimento da legislação antitruste, as empresas do grupo poderão coordenar melhor seus horários e tarifas em suas rotas sobre o Atlântico Norte, além de ganhar acesso mais amplo a novas rotas. Além disso, será criada uma estrutura a partir da qual poderão ser formadas associações semelhantes em outras regiões.

O vice-presidente sênior de Alianças e Assuntos Internacionais e sobre Regulamentos da United, Mike Whitaker, sublinhou a importância do apoio público manifestado por membros do Congresso, líderes comunitários e organizações cívicas às propostas. “Foi muito agradável participar deste trabalho conjunto para chegar a um resultado tão importante para aumentar o poder de escolha e a conveniência do público”, declarou.

Além da United, os membros da Star Alliance liberados pelo DOT das exigências da legislação antitruste são Air Canada, Austrian Airlines, bmi, LOT Polish Airlines, Lufthansa, Scandinavian Airlies, SWISS e TAP Air Portugal.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade