Dono da Vasp é libertado e diz que governo também tem culpa

240

O presidente da Vasp, Wagner Canhedo, deixou na madrugada desta quarta-feira a Superintendência da Polícia Federal em Brasília, onde estava detido desde a noite de segunda. Canhedo foi libertado após um pedido de habeas corpus ter sido aceito por um desembargador do Tribunal Regional Federal de São Paulo (TRF-SP).

Canhedo foi preso em sua residência em Brasília em decorrência de dívidas com a Previdência. O empresário de 67 anos ficou sozinho em uma cela de 20 metros quadrados com ventilador e televisão, segundo a PF. Ele é acusado de ter dívidas junto à Previdência Social. A Justiça Federal paulista emitiu o mandado em 2 de março por conta de uma ação do INSS pela inadimplência de R$ 65 milhões da Vasp, informou o TRF-SP.

O presidente da Vasp declarou, por meio de nota à imprensa, considerar que o ocorrido seria evitado se o governo federal já tivesse convocado todos os empresários da indústria aérea no intuito de solucionar definitivamente os problemas do setor. Ele diz entender que existem pendências dos dois lados. Para Canhedo, o setor deve ao governo e o governo ao setor.

Como exemplo ele cita, a questão dos créditos do ICMS que o STF já decidiu pela sua inconstitucionalidade da cobrança, há alguns anos, mas que até hoje os valores não foram devolvidos às empresas. Ele lembra também a questão da diferença tarifária que a justiça já deu ganho de causa à todas as empresas, mas que, valendo-se do foro especial, a União posterga uma solução definitiva.

A Vasp é a quarta maior companhia aérea brasileira mas perdeu espaço nos últimos três anos para a Gol, que opera em sistema de baixos custos e tarifas. Canhedo tem 92% do capital da empresa privatizada há 13 anos pelo governo do Estado de São Paulo.

Em fevereiro, a Vasp ficou com 12,51% do transporte de passageiros no mercado doméstico, enquanto a Gol atingiu 24,32%. Antes da entrada da Gol, em 2000, a Vasp tinha 20% do mercado.

FONTE: Reuters Investor – Fernando Valduga – Porto Alegre/RS