EADS completa com sucesso a primeira fase de testes do novo sistema de reabastecimento aéreo

269

A EADS completou com sucesso a primeira fase do programa de testes em vôo do ARBS (sigla em inglês para Sistema de Sonda para Reabastecimento Aéreo), após três anos de projeto, desenvolvimento e produção dessa nova geração de sondas de reabastecimento aéreo. Os resultados preliminares dos testes, realizados na Espanha pela EADS CASA, mostraram que a instalação da sonda de reabastecimento não altera as características de operação e capacidade de manobra das aeronaves equipadas com o novo sistema.

O programa de testes de vôo, que teve como função demonstrar a performance da nova sonda instalada em um Airbus, permitiu estender o envelope de operações deste avião-tanque e executar a operação de reabastecimento com um caça F-16. A primeira fase do programa, com o mastro da sonda retraído, começou com o primeiro vôo em 16 de março de 2006 e terminou no dia 30, quando foi realizado o sexto e último teste em vôo.

Esta primeira fase do programa teve três objetivos: validar o envelope de operações da aeronave em relação aos efeitos de flutuação e vibrações não amortecidas e checar se todas as operações de vôo da aeronave também estavam livres de vibrações ou flutuações; avaliar a capacidade de manobras do avião com o mastro da sonda retraído; e checar a capacidade de influência do mastro na entrada de ar da Unidade Auxiliar de Potência (APU, sigla em inglês).

Os primeiros resultados desses testes mostraram que a plataforma da aeronave e a estrutura do equipamento de reabastecimento estão livres de qualquer tipo de vibração ou flutuação. Além disso, a influência da instalação do mastro nas propriedades de manejo do avião são mínimas, e não há interferência na entrada de ar da APU. Estes resultados significam um grande passo no desenvolvimento do ARBS, sistema que coloca a EADS à frente da tecnologia empregada no reabastecimento aéreo.

Além de uma avançada estrutura da sonda de reabastecimento, o ARBS dispõe de controles de vôo fly by wire, incluindo um sistema automático de ajuste de peso total da aeronave, o que otimiza o processo de abastecimento e capacidade de controle. A vazão máxima, aproximada, de combustível é de 1200 US gal./min. O RARO (da sigla em inglês para Operador Remoto de Reabastecimento Aéreo), localiza-se numa estação no cockpit, de onde controla todo o processo de reabastecimento no ar através de um sistema de visão 3D artificial.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP