Embraer divulga estimativas de longo prazo para aviação

206

O anúncio foi feito ao final da nona edição do Encontro Anual de Analistas e Investidores, o Embraer Day, realizado nos dias 6 e 7 de novembro em São José dos Campos, Estado de São Paulo.

Mercado de Aviação Comercial

A demanda do transporte aéreo mundial deverá crescer, em média, cerca de 5% ao ano de 2009 a 2028. A Embraer estima que a indústria de transporte aéreo reagirá positivamente, após o término do atual período de crise econômica, e que no longo prazo a tendência de crescimento da demanda será mantida. A China será a maior responsável pelo crescimento nos próximos 20 anos, com uma taxa anual média superior a 7,5%, seguida pelas regiões da América Latina e Rússia & Comunidade dos Estados Independentes (CEI), ambas com 6% ao ano. A Ásia Pacífico e a África crescerão em torno de 5%, e os mercados da Europa e América do Norte, 4%.

A Embraer prevê uma demanda global de 6.750 jatos com capacidade de 30 a 120 assentos nos próximos 20 anos, estimativa que gerará negócios da ordem de US$ 220 bilhões em vendas de aeronaves novas. Desse total, 2.950 jatos deverão ser entregues entre 2009 e 2018 e os restantes 3.800 entre 2019 e 2028.

Dos jatos de 30 a 60 assentos serão entregues 75 unidades entre 2009 e 2018 e 575 unidades entre 2019 e 2028.

Dos jatos de 61 a 90 assentos serão entregues 1.150 unidades entre 2009 e 2018 e 1.300 unidades entre 2019 e 2028.

Dos jatos de 91 a 120 assentos serão entregues 1.725 unidades entre 2009 e 2018 e 1.925 unidades entre 2019 e 2028.

As previsões indicam que o segmento de 30 a 60 assentos estará sob pressão nos próximos cinco anos em decorrência da crise econômica e do preço do combustível, forçando as empresas aéreas a reverem suas estratégias, principalmente no ambiente norte-americano. O mercado de jatos regionais de 50 assentos atingiu seu ciclo de maturidade, mas tende a continuar apoiando os sistemas americanos e europeus e contribuindo com o desenvolvimento da aviação regional na Rússia & CEI, México, África e América do Sul.

Os jatos de 61 a 120 assentos deverão continuar auxiliando as companhias aéreas a promoverem o equilíbrio entre oferta de assentos e demanda de passageiros nos vôos operados por aeronaves narrowbody com excesso de capacidade. Além disso, os jatos desse segmento também tendem a ser utilizados na substituição de frotas antigas, na expansão para novos mercados e para auxiliar o crescimento natural das companhias aéreas regionais nas rotas de maior demanda operadas por jatos menores, visando aumentar receita e participação de mercado.

A Embraer acredita que as emissões de poluentes serão um dos pontos cruciais que influenciarão o desenvolvimento de aeronaves no futuro. Hoje, mais de 700 unidades da frota no segmento de 30 a 120 assentos tem mais de 20 anos de idade e deverão ser substituídas em breve, o que resultará em benefícios ambientais significativos. Nesse cenário, a família de E-Jets da Embraer proporciona uma redução de até 50% no volume de emissões de gás carbônico.

Dos jatos de 30 a 120 lugares, entre 2009 e 2028, 38% das entregas estarão na América do Norte, 20% na Europa, 13% na China, 8% com América Latina, 8% com a Ásia e Pacífico, 7% na Rússia e região e finalizando 3 % com África e outros 3% com Oriente Médio.

Mercado de Aviação Executiva

A Embraer estima uma demanda mundial de 11.880 jatos executivos para 2009-2018, número que poderá gerar negócios de cerca de US$ 204 bilhões em entregas de novas aeronaves. O novo mercado de táxi aéreo e fretamento de aeronaves de marca única poderão adicionar mais 1.800 a 2.800 aviões aos segmentos de jatos personal e entry level no mesmo período.

Desde 2006, a indústria tem registrado consecutivos recordes de entregas, baseado principalmente na demanda crescente de mercados fora dos Estados Unidos, mas estima-se uma desaceleração nas entregas em 2009, com um ajuste para o período 2009-2012. Apesar da redução de curto-prazo nas entregas, é previsto um crescimento sustentável a longo prazo para o mercado de jatos executivos em função da retomada do crescimento econômico, ainda que a níveis mais conservadores.

Lançados em 2005, os jatos Phenom 100 e Phenom 300 estão posicionados nos segmentos entry level e light, respectivamente. O primeiro vôo do Phenom 100 ocorreu em 26 de julho de 2007 e o modelo já acumula mais de 1.300 horas de testes em vôo para fins de certificação, que está prevista para ocorrer até o final do ano. Dez Phenom 100 deverão ser entregues ainda em 2008 a clientes norte-americanos. O vôo inaugural do Phenom 300 ocorreu em 29 de abril de 2008 e a campanha de testes para certificação avança firme, com previsão de ser concluída na segunda metade de 2009.

Em maio de 2006, a Empresa lançou o Lineage 1000, um jato executivo na categoria ultralarge baseado na plataforma do jato comercial Embraer 190. O primeiro avião realizou o vôo inaugural em 26 de outubro de 2007. Hoje, quatro jatos estão em fase de montagem do interior. A certificação e a primeira entrega do modelo ocorrerá até o final de 2008.

Os jatos executivos Legacy 500 e Legacy 450, das categorias midsize e midlight, respectivamente, foram lançados em maio deste ano e devem entrar em operação na segunda metade de 2012 e 2013. O Legacy 600 continua aumentando sua participação de mercado, com atuais 15% da categoria super midsize, e hoje conta com mais de 150 aeronaves operando em 23 países.

A Embraer está investindo mais de US$ 100 milhões na infra-estrutura e organização de suporte aos clientes e serviços. Em 2008, a Empresa inaugurou três novos centros de serviços próprios nos Estados Unidos, nos Estados de Connecticut, Arizona e Flórida. A rede de serviços será composta por 45 centros, incluindo sete instalações próprias. A Embraer CAE Training Services (ECTS), uma joint venture estabelecida entre a Embraer e a CAE para o treinamento de operadores dos jatos Phenom, já concluiu o programa de instrução dos primeiros mecânicos e pilotos. A unidade de treinamento da ECTS na Europa, localizada no Reino Unido, iniciará as atividades no primeiro semestre de 2009. A Embraer também tem investido no gerenciamento de estoque de peças de reposição e logística e na expansão dos programas de manutenção para jatos executivos, tendo disponibilizado o Embraer Executive Care (EEC), um programa de manutenção abrangente a um custo fixo por hora de operação, aos clientes dos jatos Phenom.

A ótima aceitação dos jatos executivos Phenom, Legacy e Lineage e o contínuo progresso dos respectivos programas de desenvolvimento resultaram em uma carteira de pedidos firmes atual da ordem de US$ 7 bilhões – um aumento significativo em relação aos anos anteriores (US$ 4 bilhões no final de 2007, US$ 2 bilhões em 2006 e US$ 600 milhões em 2005). Os pedidos firmes para o Phenom 100 e o Phenom 300 superam 800 unidades.

Previsão de Entregas e Investimentos para 2009

A Embraer revisou suas estimativas de entregas de aeronaves para 2009 e prevê entregar no próximo ano 270 jatos para os mercados de aviação comercial, executiva e de defesa e governo (companhias aéreas estatais e transporte de autoridades). A Empresa também divulgou a sua previsão de investimentos para 2009, no montante de US$ 450 milhões.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa, editado pela Redação – São Paulo/SP

Publicidade