Embraer e Musal inauguram duas novas salas

121

A Embraer e o Museu Aeroespacial do Rio de Janeiro (MUSAL) inauguraram hoje duas novas salas do museu, intituladas “Primórdios da Aviação Brasileira” e “Sala Embraer – Brasil na Vanguarda da Indústria Aeronáutica”. Os dois novos espaços ocupam, juntos, cerca de 700 metros quadrados.

A abertura das duas novas salas resulta do acordo celebrado em agosto de 2002 pela Embraer e pelo MUSAL, por meio do qual a Empresa comprometeu-se a destinar R$ 1,359 milhão com o objetivo de restaurar e ampliar as instalações do maior museu aeronáutico do Hemisfério Sul.

Além da construção das novas salas inauguradas hoje, foram executados, no âmbito do acordo, projetos de recuperação da infra-estrutura, incluindo a cobertura dos cinco hangares que abrigam as aeronaves que compõem o rico acervo do museu, a qual recebeu aplicação de tinta especial para ajudar no controle interno de temperatura.

No novo espaço dedicado à Embraer, documentos, equipamentos e componentes de aeronaves, juntamente com uma coleção de maquetes de todos os aviões construídos pela Empresa, contarão a história de seus 35 anos, do planador EMB 400 Urupema ao EMBRAER 195, moderno jato comercial de 110 assentos que integra a nova família EMBRAER 170/190, a maior aeronave até hoje fabricada em nosso país.

“Estamos entusiasmados por nossa parceria com o Museu Aeroespacial do Rio de Janeiro. O Brasil soube inscrever seu nome na aviação mundial por meio de uma história única, rica em conquistas e que constitui motivo de justificado orgulho para todos os brasileiros.

Como parte integrante desta história nos últimos 35 anos, sentimos-nos honrados por desfrutar de uma sala totalmente dedicada à Embraer e encantados por apoiar a reforma e expansão de um museu tão importante”, afirmou Horacio Forjaz, Vice-Presidente Executivo de Comunicação Empresarial, que representou a Embraer no evento.

“A conclusão dos trabalhos de revitalização nos permitirá atrair ainda mais estudantes, que constituem a maioria dos nossos visitantes. Além do nosso trabalho cultural e educacional, queremos contribuir para ampliar o circuito turístico do Rio de Janeiro”, disse o Brigadeiro Márcio Bhering Cardoso, Diretor do MUSAL.

O MUSAL encontra-se aberto ao público desde 1976 e é mantido pelo governo federal do Brasil. Atualmente, o museu tem 76 aviões em acervo, incluindo raridades como o bombardeiro Focke-Wulf FW-58 e o caça Republic P-47 Thunderbolt, usados, respectivamente, por alemães e americanos na 2ª Guerra Mundial.

O protótipo do turboélice Bandeirante, que efetuou seu primeiro vôo em 1968, também está à mostra num dos cinco hangares do MUSAL. O Bandeirante foi originalmente desenvolvido pelo Centro Técnico de Aeronáutica, hoje Centro Técnico Aeroespacial (CTA), e mais tarde tornou-se o primeiro avião produzido pela Embraer. A produção seriada do Bandeirante começou em 1972.

Além dos aviões, o MUSAL possui uma vasta coleção de documentos que ilustram a história da aviação, inclusive pinturas, fotografias e livros alocados numa biblioteca especializada. Uma seção inteiramente dedicada a Alberto Santos-Dumont, pioneiro aviador brasileiro, figura entre as grandes atrações do MUSAL. O museu também guarda réplicas do bi-plano 14 BIS e do Demoiselle, primeiro avião ultraleve montado no mundo.

Ambos foram criados e pilotados por Santos-Dumont no início do século XX. Mais de 100.000 pessoas do Brasil e outros países visitam o MUSAL a cada ano.

FONTE: Aviação Brasil / Embraer – Assessoria de Imprensa – São José dos Campos/SP