Embraer reduz custos de manutenção e aumenta flexibilidade do Legacy

112

A Embraer anuncia hoje que o Centro Técnico Aeroespacial (CTA), autoridade brasileira de certificação, aprovou a revisão do Plano de Manutenção do Legacy.

Dessa forma, os operadores do Legacy Executive terão seus custos de manutenção em termos de homem-hora por hora-voada reduzidos em 21,5%, em função de melhorias adicionais ao Plano de Manutenção do Legacy. A flexibilidade do programa de manutenção também foi aumentada para maior conveniência do operador. A revisão estará disponível a partir do final deste mês.

Além disso, os clientes do Legacy Shuttle serão beneficiados por uma redução de 20% nos custos de homem-hora por hora-voada com a recente aprovação, pelas autoridades do Brasil, dos Estados Unidos e da Europa, da revisão do relatório elaborado pelo Maintenance Review Board.

Uma revisão no Plano de Manutenção do Legacy em 2004 já havia reduzido para quatro o número de paradas programadas para manutenção por ano – sendo duas paradas para inspeção visual. Esta revisão diminuiu em 23% os custos de mão-de-obra de manutenção, aumentando a conveniência para os clientes em viagem.

O Legacy tem seu programa de manutenção baseado na metodologia do MSG-3, criada pelo Maintenance Steering Group (MSG) da Air Transport Association (ATA). Assim, o primeiro Legacy já foi fabricado em conformidade com tais conceitos. Enquanto para a Embraer foi natural a idéia de adotar esta filosofia em seu plano de manutenção desde o início, apenas agora este padrão tem sido amplamente utilizado em toda aviação executiva.

A metodologia MSG-3 objetiva preservar e recuperar os níveis de segurança intrínseca e confiabilidade da aeronave e construir uma base de conhecimento para melhoria do projeto e da manutenção. Os principais benefícios dessa metodologia são maior disponibilidade da aeronave e redução geral dos custos de forma a manter o Legacy em condições ideais de operação.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade