Estudo da Airbus diz que serão necessários mais 22.700 aviões até 2025

178

Entre 2006 e 2025, cerca de 22.700 novos aviões de passageiros e de carga, avaliados em 2,6 trilhões de dólares, serão necessários para atender aos operadores mundiais, segundo o último Airbus Global Market Forecast (Projeção do Mercado Global da Airbus). Este total representa um aumento de cerca de 5.400 aviões em comparação ao último relatório semelhante.

Entre os novos aviões a serem produzidos, a Airbus prevê que 21.900 serão para passageiros e terão capacidade acima de 100 lugares, correspondendo a 1.100 aeronaves entregues por ano, contra apenas 800 dois anos atrás. Esta necessidade resulta de um crescimento médio anual de tráfego em passageiros.quilômetros de 4,8%, que levará o volume de demanda a um nível 2,5 vezes maior do que hoje e a um aumento da frota mundial de cerca de 14.600 aviões.

No mesmo período, a carga aérea medida em toneladas.quilômetros deverá crescer 6% ao ano, gerando uma demanda para 3.580 aviões cargueiros (a maior parte resultante de conversões), dos quais 800, ou 22%, adquiridos novos dos fabricantes.

Um fato muito significativo é que o período será marcado por uma crescente demanda para aviões novos com menor consumo de combustível, para atender à necessidade de menores custos de operações e de melhor convívio com o meio ambiente. Este último item levará à substituição mais rápida de mais de 12.000 aviões.

“Nos próximos 20 anos o número de aviões de passageiros vai mais que dobrar. Desde 2.000, novos operadores e o rápido crescimento econômico, especialmente em economias emergentes, impulsionaram a expansão de cerca de 30% dos assentos disponíveis”, disse John Leahy, principal Executivo Operacional para Clientes da Airbus. “Esta tendência está continuando e a região Ásia-Pacífico deverá ocupar cerca de 1/3 do mercado mundial em 2025”, ele completou.

As rotas longas transpacíficas, da Europa para a Ásia e transatlânticas vão crescer 60%. As principais cidades que são grandes centros de tráfego verão seu tráfego quase dobrar nos próximos 10 anos. Novos aviões de grande porte vão permitir às empresas maximizar seu potencial de lucros, atendendo às restrições ambientais e de congestão dos aeroportos.

No setor de aviões muito grandes, a Airbus prevê uma demanda para 1.660 aviões avaliados em 503 bilhões de dólares, ou 20% do valor das vendas previstas, dos quais 1.260 serão aeronaves para passageiros. A região Ásia-Pacífico vai corresponder a 56% dessa demanda. Os vinte maiores aeroportos que são centros de conexões se equivalerão a 2/3 das destinações dos aviões muito grandes. Existirá ainda uma demanda para cerca de 400 cargueiros com carga útil acima de 120 toneladas, na categoria de aviões muito grandes. O A380 atende esta categoria.

A necessidade de aviões de passageiros com dois corredores vai continuar a crescer rapidamente, com cerca de 5.300 novos aeronaves sendo entregues nas próximas duas décadas avaliadas em 1,009 trilhões de dólares, equivalendo-se a aproximadamente 42% do valor dos aviões a serem entregues no período. O maior segmento será o mercado para aviões de 250 a 300 lugares com cerca de 3.750 novos aviões. A Airbus cobre esse segmento com a Família A330/A340, além da próxima Família A350 XWB. Além disso, 1.550 aviões de dois corredores grandes serão necessários na categoria de 300 a 450 lugares, onde a Airbus responde com o A340-600.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade