FedEx discute papel da educação durante Fórum Econômico Mundial

172

A FedEx, que atua como provedora de acesso ao mercado global e consultora do pequeno e médio empreendedor que quer exportar, irá compartilhar sua experiência e expertise adquiridos com o programa FedEx PyMEx ao participar da discussão sobre o tema “Implicações da Crise Econômica Global para a América Latina”, e de que forma a educação e inovação são vitais para o futuro da região.

“O momento mundial pede empreendedores preparados e a FedEx sabe que eles só se desenvolverão em um ambiente favorável e com ferramentas que permitam não só sua sobrevida, mas sua plena inserção no cenário global”, diz Carlos Ienne, diretor-geral da FedEx para o Mercosul, que estará entre os mais destacados líderes mundiais que levantarão idéias para lidar com a crise. O painel do qual a FedEx participa – “Valores e competências para destravar a capacidade empreendedora” – será realizado hoje, 16 de abril, às 14 horas.

“Para a FedEx interessa discutir como o empreendedorismo pode estar integrado na educação formal, desde muito cedo”, completa Carlos. Esse será um viés do painel, que discutirá como as políticas públicas podem contribuir para um crescimento sustentável.

Consciente do importante papel que o setor privado possui na educação para o desenvolvimento do empreendedorismo nos países latino-americanos, a FedEx divulgou em 2008 o estudo “Em busca da sustentabilidade empresarial: Educação na América Latina e o papel do setor privado”, encomendado à Economist Intelligence Unit (EIU), da revista inglesa The Economist.

O estudo mostra que, sem investimento educacional na mão de obra, as empresas latino-americanas encontrarão dificuldades para competir no mercado internacional. “As empresas precisam urgentemente capacitar sua força de trabalho para competir com países emergentes, como a Índia e a China. Uma linha de produção de aparelhos telefônicos móveis em São Paulo, por exemplo, produz em média 60% menos celulares que uma empresa na Coreia do Sul. É preciso ganhar tempo”, conta Ienne.

O estudo afirma também que com investimento no capital intelectual, as empresas latino-americanas podem contribuir consideravelmente para a capacitação de profissionais que tornarão possível aumentar o ritmo de crescimento do País. Segundo a EIU, a previsão de crescimento do PIB brasileiro para os próximos três anos é de 3 a 4% ao ano, enquanto a China e a Índia devem crescer de 8 a 9% ao ano. Os dados confirmam que o Brasil possui grande potencial de crescimento e é por essa razão que uma força de trabalho capacitada contribuirá para um País mais competitivo no cenário mundial.

De acordo com a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe – CEPAL, dos 93% de crianças ingressantes no ensino básico, somente 62% seguem para o fundamental e o médio.

Determinada a contribuir para minimizar os impactos negativos dessa situação, a FedEx investe em programas educacionais em três níveis: dentro da companhia, com benefícios específicos para a educação de seus funcionários; na comunidade, com apoio a instituições como Junior Achievement São Paulo, Criança Segura (Safe Kids Brasil) e o incentivo à leitura na infância com o FedEx Entrega, e para seus clientes, como o programa FedEx PyMEx, que apoia pequenas e médias empresas (PMEs) a alcançarem novos mercados.

O FedEx PyMEx é o primeiro programa feito sob medida para facilitar o acesso das PMEs da região ao mercado global. Lançado no Brasil em 2005, o PyMEx tem como pilar fundamental os seminários educacionais, que proporcionam a pequenos e médios empreendedores informações teóricas e práticas sobre logística no comércio mundial.

“Na América do Sul existem aproximadamente 13 PMEs para cada grande empresa e elas empregam 50% do total de funcionários da região. O programa oferece oportunidades para que essas empresas possam competir com outros blocos comerciais”, explica Ienne.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade