Forte performance financeira no primeiro trimestre confirma tendência de crescimento da EADS

132

A EADS, líder global nos segmentos aeroespacial, de defesa e serviços relacionados, apresentou forte aumento de sua performance financeira no primeiro trimestre de 2005. O anúncio feito hoje, dia 9 de maio, antecede a Assembléia Geral Anual da companhia, que será realizada na quarta-feira, em Amsterdam. De janeiro a março, o EBIT (lucro antes de despesas e impostos) cresceu mais de três vezes, alcançando 657 milhões de euros, enquanto que em 2004 registrou 198 milhões de euros. O faturamento cresceu 16%, passando dos 6 bilhões de euros para 7 bilhões de euros na mesma base de comparação, impulsionado por todas as divisões da companhia. O segmento de Defesa também apresentou aumento de 16% no faturamento.

Para os CEOS da EADS Philippe Camus e Rainer Hertrich, os resultados reforçam a capacidade da companhia em alcançar as metas esperadas para 2005, de crescimento do EBIT superior a 2,6 bilhões de euros. “Os resultados do primeiro trimestre confirmam nossas metas para 2005 para o EBIT e o faturamento com uma sólida posição de caixa. A Airbus continua mantendo sua liderança na entrega e nos pedidos de aeronaves e deu continuidade à melhora firme em suas receitas. O primeiro vôo de sucesso do A380 demonstrou o potencial para a conquista de novas receitas e crescimento de EBIT da companhia nos próximos anos. Nosso segmento de defesa também obteve forte aumento de receitas e melhorou sua performance de EBIT neste ano. Além disso, o progresso da EADS Espaço tem indicado que este segmento contribuirá positivamente no portfólio.”

O diretor-geral da EADS no Brasil, Eduardo Marson, comemorou o resultado da companhia: “A EADS tem demonstrado em todo o mundo sua importância e os contratos recentemente assinados no Brasil certamente contribuirão para garantir o crescimento sustentado do Grupo.”

O EBIT melhorou em todas as divisões da companhia, particularmente na Airbus, que elevou de 67 para 87 o número de aeronaves entregues no período de comparação. Da mesma forma, o faturamento das divisões EADS Espaço, Aeronáutica, Sistemas de Segurança e Defesa e Aeronaves de Transporte Militar Aéreo (MTA) também deverão se fortalecer significativamente até o fim do ano, enquanto que o EBIT da Airbus nos próximos trimestres sofrerá impacto das taxas de hedging menos favoráveis.

A retomada do crescimento da EADS Espaço também foi confirmada pelos resultados do primeiro trimestre, com a expectativa que o segmento tenha resultados maiores em 2005 do que em 2004.

A geração de caixa antes de custos de financiamento foi de 704 milhões de euros, contra 419 milhões gerados nos primeiros três meses de 2004. O resultado não é apenas conseqüência da maior entrega de aeronaves, mas também da posição mais conservadora de administração do fluxo de caixa da EADS. O fluxo de caixa líquido cresceu de 4,1 bilhões de euros no final de 2004 para 4,3 bilhões de euros em 31 de março de 2005.

O investimento próprio em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) caiu de 535 milhões de euros no primeiro trimestre de 2004 para 422 milhões de euros no mesmo período de 2005. Essa diferença pode ser explicada, em grande parte, pela capitalização de P&D e início da produção da versão de transporte de passageiros do A380. A expectativa da companhia é elevar os gastos em P&D nos próximos trimestres quando o desenvolvimento da versão de carga do A380 acelerará.

O lucro líquido da EADS no período foi de 328 milhões de euros (0,41 centavos de euros por ação), um aumento de 569% em relação aos 49 milhões de euros (0,06 centavos de euros por ação) registrados no mesmo período do ano passado.

O faturamento cresceu 16%, passando dos 6 bilhões de euros para 7 bilhões de euros na mesma base de comparação. O número de encomendas nos primeiros três meses de 2005 somaram cerca de 9 bilhões de euros, enquanto no mesmo período de 2004 os pedidos somavam 3,4 bilhões de euros. A Airbus recebeu 123 pedidos de compra, representando 66% de market share. Os pedidos da área de espaço durante o primeiro trimestre de 2005 incluem as aquisições feitas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido com a Paradigm, da EADS Space Transportion.

O valor total da carteira de pedidos da EADS até o fim de março era de 190,4 bilhões de euros, incluindo 49,7 bilhões de euros nas áreas de defesa, valores sem precedentes na história da companhia. A empresa também elevou em 235 o número de postos de trabalho no mesmo período de comparação, somando agora 110.897 trabalhadores.

A companhia confirma as previsões para 2005 publicadas em 9 de março. A expectativa é de alcançar um faturamento próximo a 33 bilhões de euros, impactado parcialmente pela perspectiva da manutenção de um dólar desvalorivado em relação ao euro, assumindo o câmbio de um euro valendo 1,30 dólares. O faturamento da área de defesa deverá crescer 10% durante o ano.

É esperado que o EBIT ultrapasse 2,6 bilhões de euros, que seria um aumento de 6% em relação ao resultado de 2004, refletindo uma melhora na performance de cada divisão do grupo.

A companhia avalia que a Airbus entregará de 350 a 560 aeronaves em 2005, com crescimento de seu faturamento em linha com a alta receptividade de aeronaves de um corredor. O mix de aeronaves em 2005 será menos favorável que em 2004. E o impacto contábil positivo da fusão da Airbus GIE em Airbus SAS deve ser reduzido em 2005. O fluxo de caixa antes de custos de financiamento e o investimento da Paradigm devem ser positivos em 2005. Os rendimentos por ações devem crescer 5% em 2005 para 1,36 euros, baseado na média de 803 milhões de ações.

FONTE: Aviação Brasil / EADS – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP