GOL transportes aéreos é reconhecida internacionalmente

143

A estratégia de negócios da GOL, baseada no modelo baixo custo, baixa tarifa, garantiu à Companhia a presença entre as 50 empresas de países em rápido desenvolvimento econômico, que estão redefinindo as regras de competitividade nos mercados locais. Delas, nove estão sediadas no Brasil e a GOL é a única do setor aéreo no País. Segundo o The Boston Consulting Group, idealizador do estudo que acaba de ser divulgado, seu sucesso está justamente em conseguir vender passagens mais baratas que as da concorrência, sem deixar de atender o cliente com conforto e aeronaves novas.

O levantamento intitulado The BCG 50 Local Dynamos – How Dynamic RDE – Based Companies Are Mastering Their Home Markets and What MNCs Need to Lear from Them abrange, além do Brasil, economias em forte desenvolvimento, como China, Índia, México, Rússia, Polônia, Eslováquia, Malásia, Indonésia e Tailândia.

Fundada em 2001, a GOL entrou no mercado de aviação brasileiro praticando uma política de negócios clara: oferecer viagens com custos baixos e baixas tarifas para os clientes. Quando seu primeiro vôo decolou, a Companhia contava com seis aeronaves. Atualmente, conta com uma frota de mais de 80 aviões, com aproximadamente 13 mil colaboradores e uma operação consolidada, que soma mais de 640 vôos diários para 49 destinos brasileiros e oito internacionais.

Para Constantino de Oliveira Júnior, presidente da GOL, a estratégia de negócios reflete os esforços da Companhia para inovar. “A GOL trouxe um novo modelo ao mercado brasileiro, o chamado ciclo virtuoso, no qual custos menores permitem a oferta de tarifas mais baixas, estimulando a demanda. Acreditamos que o crescimento e a consolidação das nossas operações são resultado de riscos corridos ao se pensar em algo diferente”.

Ainda segundo o relatório do BCG, as 50 Local Dynamos geram receitas mais rapidamente que as empresas que constam nos rankings S&P 500 e Fortune Global 100, têm melhores margens operacionais, além de contabilizar a valorização de suas ações nos últimos quatro anos.

“Ao criar uma opção de viajar a baixas tarifas, trabalhamos um público novo e criamos uma nova dinâmica para o mercado. Hoje, com o estudo do The Boston Consulting Group, comprovamos que o nosso papel foi fundamental para estabelecer um novo nível competitivo no mercado aéreo nacional”, conclui o executivo.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade