Governadores defendem aeroporto internacional em Parnaíba

118

Em audiência pública na Comissão de Turismo e Desporto, os governadores do Piauí e do Maranhão, Wellington Dias e José Reinaldo Tavares, defenderam hoje a internacionalização do aeroporto de Parnaíba, no Piauí. “O terminal fica a cerca de sete horas de vôo da Europa e dos Estados Unidos, então pode e deve ser um dos novos eixos do Brasil para atrair o turismo internacional”, afirmou Wellington Dias. Para ele, a medida vai desenvolver o turismo e melhorar as condições de vida das populações de três estados: Piauí, Maranhão e Ceará.

José Reinaldo Tavares defendeu a elaboração de um projeto único de desenvolvimento turístico para a região que vai de Jericoacoara (CE) até os lençóis maranhenses (MA), com o apoio do Ministério do Turismo. Segundo ele, a demanda turística pela região é muito grande e, por isso, é preciso melhorar estradas, hotelaria e infra-estrutura para que os três estados envolvidos sejam beneficiados pela entrada de divisas.

O presidente da comissão, deputado Antonio Cambraia (PSDB-CE), disse que o aeroporto de Parnaíba poderá transformar-se no portão de entrada do turista estrangeiro na chamada Costa Norte, uma faixa litorânea de 330 quilômetros. “Nenhum outra parte do mundo tem uma região como essa”, afirmou o deputado. “No entanto, para que ela seja aproveitada para fins turísticos, é preciso implantar a infra-estrutura necessária, que inclui o aeroporto internacional, além de capacitar mão-de-obra e investir em divulgação”.

O secretário de Turismo do Ceará, Allan Pires de Aguiar, defendeu a necessidade de os três estados trabalharem em sintonia para o desenvolvimento da região. Segundo ele, a internacionalização do aeroporto de Parnaíba vai melhorar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da área. Ele citou como exemplo Cancún, no México, que tem um dos IDHs mais altos do mundo e vive do turismo. “O aeroporto é a matriz da infra-estrutura que estamos perseguindo e que inclui também rodovias, energia, comunicação, água, ações de preservação do meio ambiente e formação de mão-de-obra local”, afirmou.

A assessora da Presidência da Infraero Márcia Roquete, por sua vez, alertou para o fato de que o aeroporto sozinho não garantirá o desenvolvimento da região. Para ela, o importante é promover a infra-estrutura global da área. “O turista gosta de ecoturismo, mas gosta também de conforto”, disse Roquete.

Apesar de já haver um protocolo de intenções assinado no ano passado entre os governos do Piauí, Ceará e Maranhão, as ações para internacionalização do aeroporto de Parnaíba não têm sido tomadas com a rapidez esperada.

A pista de pouso e decolagem, com 2,1 mil metros de comprimento, já está preparada para receber vôos internacionais, fretados ou regulares. No entanto, ainda devem ser realizados investimentos para melhorias no terminal de passageiros, no pátio de aeronaves e no auxílio à navegação aérea.

O aeroporto é administrado pela Infraero desde junho de 2004. Antes disso, estava sob administração do governo do Piauí.

FONTE: Agência Câmara – Redação – São Paulo/SP

Publicidade