Grupo sugere a criação de um órgão civil para controle do tráfego aéreo

243

O Jornal Nacional desta terça-feira (30) mostrou um relatório do grupo interministerial que acompanha a crise nos aeroportos — formado por representantes do governo, da agência de aviação civil, das empresas aéreas e dos trabalhadores — e propõe que o controle do tráfego de aviões comerciais e particulares passe para as mãos de civis.

Esta era a principal reivindicação dos controladores de vôo desde o começo da crise que provocou o caos nos aeroportos no ano passado: a criação de um órgão civil, subordinado ao ministério da Defesa, para controlar o tráfego aéreo comercial e de aviões particulares.

Apenas a defesa do espaço aéreo brasileiro ficaria sob o comando da Aeronaútica . A Aeronaútica não concorda com esse comando compartilhado, e argumenta que o sistema de controle ficaria mais caro e menos eficiente.

O grupo de trabalho propõe ainda um redesenho do espaço aéreo brasileiro, com a transferência do controle de alguns vôos hoje monitorados pelos Cindactas 1 (Brasília) e 2 (Curitiba), os mais sobrecarregados, para outros centros de controle.

O documento também atende a muitas outras reivindicações dos controladores de vôo.

Propõe a revisão da formação, da carreira e do salário dos operadores; a contratação de mais profissionais; auditorias periódicas, com participação dos controladores, para evitar problemas operacionais no controle de tráfego aéreo e atualização tecnológica e de infraestrutura aeronáutica.

Mesmo sem consenso, o documento foi encaminhado à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef. O governo só pretende decidir sobre o assunto depois da reforma ministerial e da troca de comando na Aeronáutica.

FONTE: G! – Redação – São Paulo/SP