Jato da Embraer inicia testes de aproximação íngreme no London City Airport

261

“O Embraer 170 concluiu a certificação para operar no LCY em 2007 com uma solução simples e eficiente de aproximação íngreme baseada nos comandos de vôo fly-by-wire”, afirmou Mauro Kern, Vice-Presidente Executivo da Embraer para o Mercado de Aviação Comercial. “Com a certificação do Embraer 190 até o final deste ano, a Embraer oferecerá muita flexibilidade às companhias aéreas européias, que poderão adequar a oferta de assentos à demanda nos altamente rentáveis
mercados de viagens a negócios que partem ou chegam ao centro financeiro de Londres.”

Em dezembro de 2008, a Embraer e a British Airways assinaram um contrato para 11 E-Jets, incluindo seis jatos Embraer 170 e cinco Embraer 190, a serem operados pela BA CityFlyer – uma subsidiária integral que utiliza o Aeroporto London City para voar todas as suas rotas no Reino Unido e na Europa. O primeiro Embraer 170, já certificado para operações de aproximação íngreme, será entregue no segundo semestre de 2009.

“A BA CityFlyer aguarda ansiosamente a entrega das aeronaves Embraer 170 e Embraer 190. A nova frota oferecerá mais conforto e qualidade para nossos clientes”, disse Peter Simpson, Diretor-Geral da BA CityFlyer. “As aeronaves também proporcionarão significativa redução do impacto ambiental, além de benefícios econômicos, no atual mundo de desafios.”

O Embraer 190 realizará a aproximação íngreme com o uso de um software integrado com o sistema fly-by-wire existente, o que significa melhor qualidade e controle de vôo, menor carga de trabalho do piloto e peso da aeronave e custos de manutenção reduzidos. Decolando do LCY, o alcance do Embraer 190 superará 1.500 km (800 milhas náuticas), distância que abrange todas as rotas atualmente operadas a partir deste aeroporto, proporcionando
maior flexibilidade às companhias aéreas para voar mais longe e atingir importantes destinos de negócios na Europa. A aproximação íngreme também permitirá operações em outros aeroportos que exijam procedimentos equivalentes.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade