KLM inaugura rota executiva e estréia o Airbus A330

153

A partir de 30 de outubro, a KLM disponibilizará um serviço diferenciado para atender a demanda de seus clientes por assentos na World Business Class (WBC), a Classe Executiva com um toque de Primeira Classe da companhia, na rota Amsterdã-Houston. O equipamento utilizado será um Boeing 737-700 reconfigurado como jato executivo, que operará seis vezes por semana em code-share com a Northwest Airlines. Este novo serviço complementará o diário já existente na mesma rota com Boeing 747 e substituirá aquele operado três vezes por semana com um Boeing 767.

Com isso, a KLM entra no segmento de mercado que oferece vôos intercontinentais apenas com assentos em Classe Executiva. A companhia pretende assim oferecer serviço customizado e maior oferta de assentos sem escalas para executivos e empresas. O 737 executivo voará seis vezes por semana de Amsterdã para Houston, aumentando a atual freqüência de dez para 13 vôos por semana na rota. Isso representa um aumento de 45% na oferta de assentos no trecho. Este produto totalmente voltado ao mercado de viagens corporativas operará em joint-venture e em code-share com a Northwest Airlines.

A aeronave contará com 44 poltronas-cama executivas, equipadas com plug-ins para laptops e demais itens e conforto como os oferecidos na famosa World Business Class da KLM em seus Boeing 777 ou Airbus 330. Os Boeing 737-700 para este serviço foram contratados em forma de leasing pela KLM à PrivatAir, companhia baseada em Genebra especializada em operações de jatos executivos. Essas aeronaves ganharam winglets e maior tanque de combustível para estender sua autonomia de vôo. Elas continuarão com a pintura da PrivatAir, porém, conterão a frase “Operado em nome da KLM” na fuselagem e na cabine. Os comissários de bordo receberão treinamento da KLM para que a qualidade do serviço seja a mesma e haverá sempre pelo menos um comissário que fale holandês nas aeronaves.

A grande demanda por assentos na World Business Class da KLM na rota Amsterdã-Houston pode ser explicada pelo papel que esta cidade no estado norte-americano do Texas desempenha na indústria mundial do petróleo e setores relacionados. A rota Houston-Amsterdã operada pela KLM é utilizada como conexão para outras importantes regiões produtoras de petróleo, como Oriente Médio, África, Rússia, países ao redor do Mar Negro, Noruega e Grã Bretanha.

A Air France, que se fundiu com a KLM em maio de 2004, já tem desde o ano passado um produto chamado Dedicate, criado para atender a demanda de viagens de negócios relacionados à indústria do petróleo. Ele oferece vôos diretos e intercontinentais em aeronaves Airbus 319 Extended Range, com apenas duas classes: uma Classe Executiva maior e a Classe Econômica. A partir do Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle, onde se localiza o hub da Air France, o Dedicate conecta seus passageiros a cidades como Kuwait, Malabo (Guiné Equatorial), Pointe-Noire (Congo), Riad (Arábia Saudita), Doha (Qatar) e Tashkent (Uzbequistão).

A KLM Royal Dutch Airlines recebeu esta semana sua primeira aeronave Airbus 330-200. Leo van Wijk, presidente e CEO da KLM, e Gustav Humbert, presidente da Airbus, batizaram o avião em Toulose, França. Todos os novos A330-200 da KLM terão nomes de praças famosas. Este primeiro será chamado “Dam”, a principal praça de Amsterdã. Seu primeiro vôo comercial aconteceu dia 1º de setembro, para Washington.

Até o momento, a KLM encomendou seis A330-200 e terá mais dois em leasing com a ILFC. Depois do “Dam”, duas novas aeronaves serão entregues e utilizadas em vôos para Newark (EUA) e Acra (Gana). Os aviões de números sete e oito serão adicionados à frota em fevereiro e março de 2007. Estes equipamentos serão utilizados principalmente em rotas para a América do Norte, África e Oriente Médio, mas esporadicamente servirão em rotas para grandes cidades européias, como Londres e Paris.

Os A330-200 irão gradualmente substituir os B767-300ER da KLM. Os passageiros se beneficiarão com mais espaço na cabine, que oferecerá melhores serviços e conforto, como no caso das atuais configurações da companhia em seus B777. A World Business Class terá 30 assentos e a Classe Econômica, 221. Passageiros viajando em qualquer uma das classes terão à sua disposição tela individual e sistema com várias línguas disponíveis, menu com diversas opções de filmes, vídeos, músicas, jogos, informações sobre o vôo, destino e aeroportos.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP