Northwest deu aos EUA dados sobre passageiros

254

Um total de nove pessoas foram hospitalizadas hoje por causa de um escape de gases produzido em um Airbus A companhia aérea norte-americana Northwest entregou ao Governo dados de seus passageiros depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, segundo documentos divulgados hoje, apesar de que até agora o tinha negado.
Em um comunicado, a empresa reconheceu que proporcionou ao Governo os dados durante o período de outubro a dezembro de 2001, embora não especificou a quantos passageiros pertenciam, nem o tipo de informação que se tratava. Normalmente, os arquivos das companhias aéreas contêm nomes, números de cartão de crédito, telefones e endereços.

A atuação da empresa foi descoberta graças a um pedido de informação pública amparada pela Lei de Liberdade de Informação (FOIA, em inglês) realizada pelo Centro de Privacidade de Informação Eletrônica (EPIC), uma organização não-governamental.

David Sobel, principal advogado da associação, afirmou hoje que este é outro exemplo de uma “transferência pela porta dos fundos de informação pessoal para evitar a oposição pública, que está justificada”.

A Northwest, que é a quarta maior companhia aérea dos Estados Unidos, disse em setembro de 2003 que “não proporcionava esse tipo de informação a ninguém”, mas agora reconheceu que o fez.

No total, mais de 10,9 milhões de passageiros voaram em aviões da Northwest durante os três meses em 2001 durante os quais a companhia aérea entregou dados pessoais à Agência Nacional de Aeronáutica e do Espaço (Nasa), que trabalhava em um projeto para detectar a possíveis passageiros perigosos.

A Nasa manteve estes arquivos até setembro de 2003, quando outra companhia aérea, a JetBlue Airways, declarou publicamente que tinha entregado ao Governo dados de seus clientes e pediu desculpas aos passageiros.

Depois desta revelação, a Nasa devolveu a informação à Northwest. Um investigador desta agência disse então à companhia aérea em um e-mail que “é possível que tenham ouvido sobre os problemas que está tendo a JetBlue depois de proporcionar dados de passageiros para um projeto similar ao nosso”.

A Northwest assinalou em um comunicado que informou desta maneira para ajudar ao Governo a desenvolver tecnologias para melhorar a segurança dos aviões. “A Northwest Airlines tinha a obrigação de cooperar com o Governo federal por razões de segurança nacional”, afirmou, e reconheceu que não informou a seus clientes que seus dados tinham terminado nas mãos do Governo.

Por sua vez, a EPIC denunciou que a companhia aérea violou sua política de privacidade, estabelecida para proteger os passageiros do uso indevido de seus dados.

FONTE: Agência EFE – Fernando Valduga – Porto Alegre/RS

Publicidade