Ocean Air assume o controle da Avianca em definitivo

282

A OceanAir, maior empresa aérea regional do Brasil, vai assumir o controle da Avianca (Aerovias Nacionales de Colombia SA), segunda mais antiga empresa aérea comercial do mundo, fundada em 1919. Esse é a maior negociação internacional já realizada por uma empresa aérea brasileira.

A transação foi concluída após a autorização da corte de Nova York que acompanhava o caso de Chapter 11 (concordata1) da Avianca. O negócio prevê que a OceanAir assumirá 75% do capital total e votante da Avianca, transferido pela empresa colombiana Valores Bavaria (50%) e pela Federación de Cafetaleros de Colombia (25%). A Federación permanecerá, porém, como sócia minoritária, detendo 25% do capital. A proposta do consórcio para retirar a Avianca do Chapter 11 prevê capitalização de até US$ 63 milhões.

Os primeiros contatos entre a OceanAir e a Avianca ocorreram em meados de 2003. A empresa brasileira apresentou em março deste ano sua proposta de aquisição da Avianca à Justiça de Nova York, encarregada do caso, uma vez que o Chapter 11 foi solicitado pela subsidiária norte-americana Avianca Inc.

A dívida da Avianca, que já foi reestruturada, incluindo redução do valor e alongamento do prazo de amortização (sete anos), soma cerca de US$ 220 milhões.

“Essa transação é um passo importante para a afirmação das empresas brasileiras no exterior e é nossa contribuição para a política do governo, expressa recentemente pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, afirma o presidente da OceanAir, German Efromovich. “A Avianca, no entanto, continuará a ser uma empresa colombiana com centro de operações em Bogotá, prosseguirá sua trajetória de quase nove décadas de sucesso e ganhará novo impulso para iniciativas nacionais e internacionais”, conclui Efromovich.

Chapter 11: proteção legal dada às empresas norte-americanas com problemas de liquidez financeira, semelhante ao procedimento de concordata no Brasil.

Ao assumir o controle da Avianca, a OceanAir aposta na intensificação da integração econômica, social e cultural da América Latina, assim como no fortalecimento do potencial de atração de turistas europeus e norte-americanos rumo à América do Sul.

A Avianca, que permanecerá como empresa genuinamente colombiana, conta com rotas internacionais importantes, ligando a América do Sul à Europa Ocidental e à América do Norte. O projeto visa fortalecer Bogotá como hub de atração de turistas e executivos europeus e norte-americanos, que, graças à capilaridade da OceanAir, poderão alcançar novos pontos turísticos e centros econômicos distantes das capitais brasileiras.

Com o avanço do Mercosul e o acordo comercial com a Comunidade Andina, a OceanAir tem, ainda, a expectativa de um rápido crescimento da demanda por ligações aéreas entre estes dois blocos regionais.

FONTE: Aviação Brasil / Ocean Air – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade