Resultados da EADS no primeiro semestre refletem a necessidade de reestruturação

199

Os resultados do primeiro semestre da EADS (sigla no mercado de ações: EAD) refletiram os esforços feitos para reestruturar o Grupo e os gastos para dar andamento aos grandes programas. As recentes decisões dos acionistas em relação à governança e à estrutura de liderança do Grupo preparam o caminho para o fortalecimento da administração, contabilidade mais clara e decisões importantes sendo tomadas de forma mais eficaz.

O faturamento do período foi de € 18,5 bilhões (primeiro semestre de 2006: € 19 bilhões), graças às entregas comerciais da Airbus, Eurocopter e EADS Astrium. Mas foi ligeiramente inferior ao do mesmo período de 2006 devido à ausência de um marco do programa A400M no primeiro semestre de 2007 e ao impacto negativo do dólar americano.

Nos seis primeiros meses de 2007, a EADS registrou um EBIT* (pré-amortização de valores de fundo de comércio e extraordinários) de € 367 milhões. No mesmo período do ano anterior o número foi de € 1,654 milhão. O EBIT foi principalmente impactado pelo programa de reestruturação Power8 e pelos encargos de programas da Airbus, bem como por um encargo no programa NH90.

A EADS registrou um lucro líquido de € 71 milhões (primeiro semestre de 2006: € 1.056 milhões) ou € 0,09 por ação (valor por ação no primeiro semestre de 2006: €1,32).

Nos seis primeiros meses de 2007, o autofinanciamento das despesas de Pesquisa e Desenvolvimento chegaram a € 1,268 milhão (primeiro semestre de 2006: € 1,139 milhão), resultado da continuidade dos programas de desenvolvimento de aeronaves da Airbus e a um maior esforço em Pesquisa & Tecnologia.

O fluxo livre de caixa, incluindo o financiamento a clientes, caiu para € – 40 milhões (primeiro semestre de 2006: € 319 milhões) refletindo contribuições mais baixas da venda de ativos de financiamento a clientes e ao desenvolvimento do capital circulante. Os estoques aumentaram nas divisões, mas foram compensados por pagamentos recebidos adiantados e por uma melhor performance operacional. O fluxo livre de caixa, antes do financiamento ao consumidor, melhorou e alcançou os € – 2 milhões (primeiro semestre de 2006: € – 216 milhões). No final de junho de 2007, a posição de caixa líquido permaneceu estável, se comparada com o final de 2006, em € 4,2 bilhões.

O cenário do mercado aeroespacial e de defesa permanece sustentado. Por meio de seu portfólio de alta classe a EADS se beneficia da forte demanda existente. A entrada de pedidos do Grupo foi impulsionada principalmente pelo sucesso de mercado da Airbus e da Eurocopter e alcançou € 70,2 bilhões (primeiro semestre de 2006: € 14,2 bilhões). O crescimento foi parcialmente limitado pela fraqueza do dólar americano.

No final de junho de 2007, a carteira de pedidos da EADS cresceu para € 308,2 bilhões (final de 2006: € 262,8 bilhões), apesar de uma revalorização de € -5,4 bilhões devido ao dólar americano mais fraco. Os pedidos de aeronaves comerciais são baseados em preços de lista. A carteira de pedidos de defesa aumentou graças aos novos contratos da Eurocopter e da divisão de Defesa & Segurança e em 30 de junho de 2007 estava em € 55,9 milhões (final de 2006: € 52,9 bilhões). Esta forte performance comercial representa a construção de uma base sólida para um crescimento futuro.

A EADS reafirma as previsões de faturamento e EBIT* para 2007

É esperado que o faturamento de 2007 registre um decréscimo de um único dígito na base de € 1 = US$ 1,35.

Prevê-se que o EBIT* de 2007 permaneça estável na mesma faixa do ano anterior. Esta expectativa é baseada nas entregas de 440 a 450 aeronaves da Airbus. O mix de oportunidades e riscos que sustentam estas previsões está evoluindo: enquanto a forte performance operacional que sustenta os negócios, particularmente da Airbus, está gerando satisfação, o nível de risco de certos programas-chave poderia tornar imprudente a mudança de estratégia no presente contexto.

O EBIT*, excluindo o da Airbus, deve ser fechado em € 1 bilhão, antes de qualquer impacto da avaliação de custo do A400M

Avalia-se que agora o fluxo livre de caixa da EADS deve ser positivo, graças aos pedidos efetuados no Paris Air Show e à performance de caixa maior do que a esperada para este ano até agora

(*) A EADS utiliza EBIT antes da amortização de valores de fundo de comércio e extraordinários como um indicador chave de seu desempenho econômico. O termo “extraordinários” refere-se itens como despesas de amortização de ajuste relativas à fusão da EADS, ao reagrupamento da Airbus e à formação da MBDA, assim como gastos com prejuízos decorrentes.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP