TAM comenta relatório final da auditoria da ANAC sobre transtornos no final de 2006

267

Em respeito aos seus Clientes, a TAM destaca itens do Relatório Final da Auditoria da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), que está disponível no site www.anac.gov.br, na seção “Transparência – Atas (30/03/2007). Realizado com o objetivo de aprofundar a análise anteriormente feita pela agência para apurar fatos relativos ao período entre 20 e 24 de dezembro e que afetaram a operação da empresa, o Relatório da Comissão de Auditoria, encerrado em 28/3/2007, ratifica as reiteradas explicações fornecidas pela empresa naquela ocasião, desde a entrevista coletiva concedida pelo presidente da TAM no dia 21 de dezembro de 2006, na sede da ANAC.

A TAM considera que o documento é auto-explicativo, confirma as conclusões do Relatório de Monitoramento, divulgado em 04 de janeiro de 2007, e aponta que os problemas daquela ocasião refletiram conjunção de fatores, divulgados sucessivas vezes pela empresa: vôos alternados em função da meteorologia, manutenção corretiva em seis aeronaves em localidades distintas e quedas sucessivas de sistema de check-in no Aeroporto Tom Jobim/Galeão.

Destacamos os seguintes itens do Relatório de Auditoria, a saber:

1) O Relatório da Auditoria foi aprovado pela Diretoria Colegiada da ANAC, em reunião realizada em 30 de março de 2007;

2) Reconhece que “a causa principal não foi isolada, devendo-se a uma conjugação em efeito dominó, que causou o descontrole durante o período natalino”;

3) Conclui que “o ‘overbooking’ não se revelou como causa primária dos problemas verificados, agindo apenas como causa secundária, de pouca influência”, dada a baixíssima quantidade de ocorrências;

4) Esclarece que o número de indisponibilidades de aeronaves por manutenção preventiva não foi fator determinante, e sim contribuinte, para o não atendimento efetivo da malha aérea;

5) Por último, nas conclusões do Relatório, item VI, os autores afirmam que “a causa determinante da situação ocorrida com as operações da empresa se deveu a uma conjunção de fatos que ocasionaram o cancelamento de um grande número de vôos, num período em que a empresa e suas congêneres estavam com níveis de ocupação de suas aeronaves bastante elevados”, como demonstram os números colhidos na auditoria.

A TAM cresceu baseada na política de respeito absoluto aos Clientes. Nos seus 30 anos de existência sempre cumpriu integralmente com suas obrigações junto aos órgãos de governo e poder concedente. Baseado nos fundamentos e mandamentos de nosso fundador, Comandante Rolim Adolfo Amaro, sempre atuamos de forma ética e transparente.

E em atendimento a essas premissas recebeu os técnicos da ANAC, durante os últimos dois meses, com total transparência em todas as áreas solicitadas, tais como manutenção, planejamento, comercial e de operações. Desta forma, a empresa acredita que as conclusões do Relatório, preparado pelo órgão regulador e fiscalizador, isento e independente, a Agência Nacional de Aviação Civil, esclarecem quaisquer dúvidas em relação aos fatos noticiados.

Ressaltamos que em todo o momento agimos de forma sincera, com humildade e profundamente consternados com os nossos clientes, aos quais gostaríamos, mais uma vez, de pedir desculpas pelos transtornos, desconforto e falta de informação decorrentes dos problemas ocorridos com nossa operação naquele período. Também mais uma vez assumimos o compromisso com nossos passageiros e funcionários de que eventos daquela natureza, mesmo que concomitantes, não voltarão a afetar nossas operações de forma significativa.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade