UPS divulga resultado de pesquisa de cadeia de suprimentos na área de saúde

257

Direcionada a tomadores de decisão de logística nas indústrias farmacêutica, médica, cirúrgica e de biotecnologia, a edição da pesquisa UPS 2008 “Dificuldades na Cadeia de Suprimentos” destaca que políticas regulatórias e concorrência da indústria encontram-se no topo da lista das preocupações das companhias de saúde.

O estudo, conduzido pelo Harris Interactive para a UPS, também detectou que “acesso ao mercado global” é o tema que precisa de maior direcionamento pelas empresas. O acesso ao mercado global é a principal área de foco para empresas de saúde que buscam obter vantagens como fonte de oportunidades de baixo custo e visam aprofundar-se de forma rápida, em mercados emergentes de consumo.

“Capitalizar oportunidades em um novo mercado global dentro de um universo crescente competitivo da indústria, exige mudanças na cadeia de suprimentos e nas estratégias de negócio,” diz Bill Hook, vice-presidente da UPS para logística no segmente de saúde. “É crucial que as companhias tenham uma cadeia de suprimentos com flexibilidade para responder as condições de mercado variáveis para capturar nova participação de mercado e navegar nas diversas complexidades associadas ao acesso ao mercado global,” complementa Hook.

A legislação de políticas envolvidas também é uma preocupação para as companhias de saúde em um mercado crescente global onde as empresas devem atender às várias leis de políticas regulatórias por meio de novos territórios. Interesses regulatórios são classificados como o assunto número 1 de negócios para companhias em uma pesquisa online realizada com empresas chave que têm faturamento superior a US$1 bilhão. Aproximadamente 92% dessas companhias citaram políticas regulatórias como principal item de importância.

Pressões de Custo Causadas Pelas Dificuldades na Cadeia

Quando perguntados sobre preocupações específicas na cadeia de suprimentos, as companhias classificaram custos de gerenciamento e armazenagem como principal problema. Das empresas entrevistadas, 60% estão “bem ou muito preocupadas” com o impacto dos custos da cadeia de suprimentos em seus negócios.

Outro resultado apontou que 20% dos entrevistados consideram os custos com gerenciamento da cadeia de suprimentos como o tema que eles conduziram com sucesso. Entre as empresas cujo faturamento é superior a US$ 1 bilhão, 74% estimaram que os custos relacionados à data de validade ultrapassada de produtos, devoluções e recalls totalizam centenas de milhares de dólares a cada ano.

“Gerenciar os custos da cadeia de suprimentos poderá tornar-se algo crítico se a logística da área de saúde continuar a se desenvolver e expandir,” diz Hook. “É um atitude de balanço para as empresas buscarem vantagens em novas oportunidades em meio às pressões do mercado, dentro de um ambiente complexo de políticas regulatórias e extensas cadeias de suprimento.”

Tendências Futuras para Novos Direcionamentos de Negócios

A grande maioria dos pesquisados planejam fazer mudanças em seus modelos de cadeia de suprimentos em um futuro próximo. Entre as mudanças imediatas, as empresas projetaram: expandir seus canais de distribuição; terceirizar mais as funções da cadeia; trabalhar com empresas terceirizadas de logística e ampliar os gastos com suas cadeias de suprimentos.

Cerca de 90% dos pesquisados esperam efetuar mudanças em seus canais de distribuição nos próximos dois anos; 2 em cada 5 dos experts da indústria e mais da metade da indústria farmacêutica (55%) esperam mudar seus canais de distribuição para trabalharem com fornecedores terceirizados de logística. A maioria, 61% dos pesquisados, planejam implementar um canal de estratégia direta ao consumidor nos próximos dois anos e 55% pretendem iniciar uma estratégia direta aos atacadistas. De forma interessante, 37% acreditam que irão expandir para os dois canais, consumidores e atacadistas.

Quando perguntados sobre o mesmo tema, as empresas com faturamento superior a US$ 1 bilhão, 46% respondeu que estão planejando mudar seus canais de distribuição/estratégia de atingir o mercado diretamente. Cerca de metade (46%) dessas grandes companhias também planejam ampliar nos próximos dois anos, o montante que terceirizam. A mesma porcentagem planeja atuar em um futuro próximo, com fornecedores terceirizados de logística.

Apesar das preocupações em administrar custos da cadeia de suprimentos, outra tendência é um aumento em gastos com essa cadeia. Nos próximos 18 meses, 60% esperam despesas superiores a 23% decorrentes da cadeia de suprimentos sob o total de vendas. Entre as companhias com faturamento igual ou superior a US$ 1 bilhão, 42% espera aumentos nas despesas de suas cadeias de suprimentos no mesmo período.

Metodologia da Pesquisa

A pesquisa foi dividida em duas partes. A primeira fase incluiu uma pesquisa por telefone conduzida pela Harris Interactive com mais de 300 pequenas e médias empresas das indústrias médica, farmacêutica, de artifícios e biotecnologia. A segunda fase foi conduzida de forma online direcionada a grandes companhias da área de saúde dos mesmos setores com faturamentos anuais iguais ou superiores a US$ 1 bilhão. O público alvo foi formado por tomadores de decisão da cadeia de suprimento.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade