Um mercado competitivo chamado Estados Unidos da América

116

Enquanto acompanhamos quase que um duopólio no mercado brasileiro, com TAM e GOL dominando quase 88% do tráfego doméstico de passageiros, acompanhamos em paralelo o mercado norte-americano.

De julho de 2005 a julho de 2006 foram transportados 657 milhões de passageiros, um crescimento de 0,8% e aproveitamento de 78,8% nos vôos.

A American Airlines está em pirmeiro lugar na lista das empresas que mais transportaram passageiros com 15.7%, seguida por United Airlines com 12.1%, Delta Airlines com 12%, Southwest com 11.4%, Continental Airlines com 7.5%, Northwest com 7%, US Airways com 4.7%, America West com 3.9%, JetBlue com 3.8%, Alaska com 2.6% e as demais empresas juntas com 19.3%.

Não seria o caso, para o mercado brasileiro, de uma melhor redistribuição da malha aérea entre as empresas existentes para um crescimento equilibrado e sádio para todas as empresas?

O mercado brasileiro trabalha com uma desigualdade muito grande entre as empresas aéreas. As grandes empresas dominam rotas, horários e consequentemente tarifas. As menores empresas, para se manter, são obrigadas a operar em rotas, que em alguns casos, são deficitárias, que necessitam de suplementação tarifária do governo brasileiro, e não encontram chances de operarem rotas ligando capitais, frente as baixas tarifas impostas pelas empresas maiores.

Quem acaba perdendo com isso é o consumidor, frente a falta de concorrência e a imposição de tarifas das empresas aéreas, fruto do total desequilíbrio do setor. É para se pensar!!!

FONTE: Aviação Brasil – Redação – São Paulo/SP

Publicidade