United anuncia resultados de outubro

248

A UAL Corporation, empresa holding da United Airlines, entregou ao tribunal federal de falências dos Estados Unidos o relatório sobre os resultados obtidos no mês de outubro de 2004. A empresa fechou o mês com um prejuízo operacional de US$ 65 milhões, com um aumento de 9% nas despesas de sua unidade principal de transporte de passageiros com relação a outubro do ano passado. A alta dos preços dos combustíveis foi a principal responsável por esse aumento. Excluindo-se as despesas com combustíveis, a empresa registrou uma redução de 1% em seus custos com relação a outubro de 2003. O prejuízo líquido da UAL em outubro de 2004 foi de US$ 114 milhões, nos quais estão incluídos US$ 14 milhões em despesas de reorganização.

A United continuou a apresentar excelentes resultados operacionais em outubro. O índice de pontualidade da empresa, considerados 14 minutos para mais ou para menos, foi de 83,2%. O índice de ocupação atingiu 77,8%. Os funcionários da empresa ultrapassaram as metas de satisfação dos passageiros fixadas para o mês, de acordo com medições da intenção firme de voltar a voar pela United.

Comentando os resultados, o vice-presidente executivo e principal encarregado das finanças (CFO) da empresa, Jack Brace, declarou: “Continuamos a realizar os árduos esforços necessários para que a United saia com sucesso da concordata. O comportamento operacional continua a ser excelente, apesar dos problemas que estamos enfrentando. Entretanto, a urgente necessidade de que a United reduza ainda mais seus custos não mudou, pois continuamos a ter diante de nós os preços de passagens mais baixos dos últimos dez anos, o preço do petróleo batendo recordes e nenhum poder para fixar preços”.

Brace prosseguiu: “Estamos, de maneira ativa, reduzindo as despesas em todos os setores, com o objetivo de garantir que a empresa continue a manter a liquidez adequada. A United vem trabalhando com os sindicatos representados na empresa para chegar a acordos baseados no consenso, destinados a obter reduções justas e equitativas nos custos trabalhistas”.

FONTE: Aviação Brasil / United Airlines – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade