Varig apresenta proposta de reestuturação societária

149

A Varig acaba de apresentar aos credores um modelo preliminar para sua reestruturação societária, prevista no Plano de Recuperação Judicial. A idéia é promover com os credores uma ampla discussão sobre a proposta, elaborada pela gestora de recursos ASM Asset Management, e receber sugestões e aprovação até o início de fevereiro.

A proposta sugere, em primeiro lugar, que seja implantado na empresa um alto padrão de governança corporativa. A estrutura é inspirada em princípios e regras do modelo adotado pelas maiores empresas de capital aberto do Reino Unido.

A principal prática de governança proposta no novo modelo é a criação de um Conselho de Administração profissional e independente, avaliado e remunerado pelo cumprimento das metas do plano de recuperação da empresa. O Conselho irá centralizar todo o poder de condução de estratégia do negócio, com a função de, entre outras coisas, agir em nome dos melhores interesses da empresa, garantir os direitos dos acionistas minoritários e implementar o plano de recuperação judicial com eficiência. Após a fase de recuperação, a missão do Conselho é guiar a empresa para um processo de modernização e expansão.

O segundo pilar da proposta preliminar apresentada hoje para discussão com os credores é a criação de uma sistemática eficaz para conversão da dívida da empresa em capital e para atração de novos investidores, incluindo funcionários. Para isso, estão sendo propostos leilões abertos aos credores e ao mercado para venda de cotas do Fundo de Investimento em Participações (Fip-Controle).

Neste momento, a estrutura do Fip-Controle e dos Fips-Créditos (credores) foi apenas conceitualmente detalhada para aprovação junto aos credores. A sugestão é que as cotas dos Fips sejam ativos negociáveis em Bolsa, oferecendo, assim, liquidez aos credores e promovendo a valorização das cotas. Esta estrutura permite, por exemplo, que os credores que decidirem por converter a dívida em ações da empresa possam vender sua cotas no mercado secundário. Outro aspecto relevante e inovador da proposta é que o Fip-Controle possua também uma estrutura de governança corporativa, permitindo a gestão compartilhada entre os cotistas.

Para o presidente Marcelo Bottini, “Hoje, a Varig cumpre mais uma etapa vital de seu processo de recuperação, entregando aos credores a possibilidade de uma gestão compartilhada, em padrão nunca antes aplicado em empresas brasileiras”.

FONTE: Aviação Brasil – Assessoria de Imprensa – São Paulo/SP

Publicidade