Aerolineas Argentinas e Gol terão code-share

764

A Aerolineas Argentinas e a Gol estão prevendo a implementação de um acordo de code-share (compartilhamento de voos). As empresas também avaliam oferecer a todos os clientes os benefícios dos seus respectivos programas de milhagem, o Smiles, da Gol, e o Aerolíneas Plus, da Aerolíneas Argentinas. Dessa forma, clientes Gol poderiam acumular milhas e resgatar bilhetes-prêmio na parceira, e vice-versa.

“O acordo vai fortalecer ainda mais a presença da Gol no mercado argentino, rota em que já oferecemos o maior números de voos”, destaca Constantino de Oliveira Junior, presidente e fundador da Gol. “Queremos contribuir para uma aproximação cada vez maior entre os países, oferecendo aos usuários do transporte aéreo a melhor relação custo-benefício do mercado”.

“Trata-se de um acordo importante para as companhias fortalecerem sua oferta. Queremos oferecer aos passageiros uma grande quantidade de destinos dentro da Argentina e do Brasil. Essa aliança permitirá que a Aerolíneas Argentinas incremente tanto o turismo doméstico, como sua presença em um mercado fundamental aos negócios, como o brasileiro”, diz Mariano Recalde, presidente da Aerolíneas Argentinas.

Presente na Argentina desde 2005, a Gol é a empresa aérea com o maior número de voos entre o país e o Brasil, com 78 frequências semanais. A companhia mantém operações regulares para Buenos Aires (aeroportos Ministro Pistarini e Aeroparque Jorge Newbery), Córdoba e Rosário. Do Brasil para a capital argentina são 11 frequências diárias, com voos diretos que partem e se destinam a São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis, Rio de Janeiro e, com escala, para Curitiba. Há também ligações diretas que partem e se destinam a Santiago (Chile) e Assunção (Paraguai).

Seguindo os procedimentos habituais do setor, as companhias devem assinar o contrato em um futuro próximo, que será posteriormente submetido à análise e aprovação das Agências Nacionais de Aviação Civil do Brasil e da Argentina, e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

Publicidade