O Aeroporto de Araguaína, no Tocantins, foi inaugurado em 1979 e possui uma pista com 1.802 metros de extensão. Desde 2006 é administrado pela ESAERO – Serviços Aeroportuários.

No ano 2000 as empresas Nordeste e Rio Sul realizavam voos com destino a Brasília que, a partir de 2001 passou a ser exclusivo da Nordeste até o ano de 2003. Em 2004 a Rio Sul estabeleceu voos com destinos a Belo Horizonte (Pampulha) e Brasília, e a Total iniciava suas operações com foco em Brasília e Parauapebas.

Nordeste - PT-MNAEm 2005, com o fim das operações da Nordeste, a Total Linhas Aéreas assumiu as operações com exclusividade. Em 2006 chegou a realizar alguns voos com destino a Uberlândia, em Minas Gerais. Em 2007 recebeu fretamentos da BRA para Belo Horizonte (Confins), Brasília, Campinas, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, Palmas, Porto Alegre, Rio de Janeiro (Galeão), São Paulo (Congonhas e Guarulhos), além de voos da Sete.

Total - PR-TTCEm 2008 uma nova mudança! A saída da Total abriu concorrência entre as empresas OceanAir e TRIP, na rota de Brasília, e operações exclusivas da TRIP para Parauapebas, Tucuruí, Uberaba e Uberlândia, e da OceanAir para Palmas. Em 2009 a OceanAir deixou de operar no aeroporto e mais uma vez uma única empresa realizava os voos no terminal, a TRIP. Em 2010 a Sete volta a operar com voos para Altamira, Belém, Goiânia, Marabá e Palmas. A novidade de 2011 foi o ingresso da Passaredo no aeroporto, com voos para Goiânia. No ano seguinte a Passaredo começa a servir também Brasília, concorrendo com a TRIP e a Sete.

O ano de 2013 marcou o início das operações da Azul Linhas Aéreas no aeroporto com voos para Brasília e Palmas. Com a integração da TRIP pela Azul em 2014, a companhia já despontava como a principal aérea operando em Araguaína e assim foi até o final de 2015.

Em 2016 somente a Passaredo manteve voos no aeroporto, servindo destinos como Brasília, Goiânia, Palmas, Ribeirão Preto e São Paulo (Guarulhos). Em 2017 deixou de operar para Brasília e foi a primeira vez desde o ano 2000 que Araguaína não tinha mais voos diretos para a capital federal. Até 30 de junho de 2018 não houveram mais alterações em destinos e empresas que operam no aeródromo.