Aeroporto de Fortaleza terá expansão

1471
Foto: Infraero

A Fraport Brasil – Fortaleza assinou um contrato com o consórcio Método e Passarelli para execução das obras de expansão do Fortaleza Airport. Para o início das obras da expansão do terminal de passageiros, ainda é necessária autorização judicial para acesso ao local e aprovação para eventual demolição das estruturas antigas. As demais obras consistem basicamente na extensão da pista e adequação das vias de taxiamento.

Para a realização das fases 1B e C das obras, devem ser investidos aproximadamente R$ 800 milhões, valor que contempla a contratação do consórcio, a compra de equipamentos, o desenvolvimento e a gestão do projeto. Passageiros e todos parceiros de negócios serão beneficiados diretamente por um terminal maior e mais confortável e por uma infraestrutura de airside que atenda aos requisitos de segurança internacionais.

“Nossa meta é criar um portal aeroportuário moderno, eficiente e focado no cliente, aproveitando da experiência, energia e expertise da equipe local que formamos. Queremos oferecer o nível mais alto de qualidade em serviços, operação e segurança”, afirma Andreea Pal, CEO da Fraport Brasil – Fortaleza.

Para impulsionar o desenvolvimento econômico nas regiões atendidas pelo aeroporto, a Fraport Brasil – Fortaleza se compromete a garantir sua atratividade por meio de melhorias contínuas em sua infraestrutura e processos operacionais.

Hugo Marques da Rosa, CEO da Método Potencial Engenharia, afirma que a empresa está honrada em participar de um projeto marco para Fortaleza e para o Brasil. “Essa obra é um desafio do tamanho de suas oportunidades. A melhoria do aeroporto de Fortaleza, além de proporcionar muito mais conforto aos usuários, aportará alta tecnologia elevando a qualidade do setor aeroportuário nacional”, completa.

“Ficamos felizes em poder fazer parte deste primeiro grande empreendimento da Fraport no Brasil. Este contrato é mais um importante capítulo dos mais de 85 anos de história da Passarelli, participando do desenvolvimento do País”, afirma Hugo Passarelli Scott, Diretor-Presidente da Passarelli.

Após as negociações contratuais que se iniciaram em setembro de 2017, o contrato foi assinado sob a modalidade EPC (Engineering, Procurement and Construction), que determina que o consórcio é responsável por todas as etapas das obras, desde o projeto até a entrega final. As licenças ambientais já foram emitidas pelos órgãos reguladores e está previsto um pico de até 500 trabalhadores para execução destes serviços. A expectativa de conclusão da expansão do terminal depende, portanto, de autorização judicial para acesso ao local e aprovação para eventual demolição das estruturas antigas. A partir daí, será possível mensurar o início e a conclusão das obras.

Publicidade