Aeroporto Internacional de Campo Grande

4416
Foto: Infraero

A história do aeroporto começou em 1932, quando o então Ministério da Guerra criou um Núcleo de Destacamento de Aviação em Campo Grande, que servia base de apoio às aeronaves que transitavam pela região Centro-Oeste. Com a implantação do Núcleo, em 10 de março de 1934, foi inaugurada a primeira linha do Correio Aéreo de Fronteira, atendendo à região sul do antigo estado de Mato Grosso (antes da criação do Mato Grosso do Sul).

Alguns anos mais tarde, em setembro de 1945, nascia a Base Aérea de Campo Grande, conhecida como a Sentinela do Pantanal, e cinco anos depois, em 1950, se iniciaram as operações aéreas comercias.

Até 1975, o terminal era administrado pelo Ministério da Aeronáutica, por meio do extinto Departamento de Aviação Civil (DAC). A partir dessa data, o terminal passou a ser administrado pela Infraero, quando foram realizadas uma série de obras e melhorias.

O Aeroporto Internacional de Campo Grande (MS) completou no último dia 20 de janeiro de 2018, 54 anos de operações. O terminal está localizado a apenas sete quilômetros do centro da capital sul-mato-grossense, tendo importante vocação para viagens a negócios, sendo também uma escala estratégica para os países do Mercosul.

Atualmente, cinco companhias aéreas contam com voos a partir de Campo Grande – Azul Linhas Aéreas Brasileiras, Gol Linhas Aéreas, Latam e Avianca Brasil – que ligam a cidade a oito destinos nacionais: São Paulo, Guarulhos e Campinas (SP), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Confins (MG), e a companhia Amaszonas Líneas Aéreas del Paraguay que realiza voo regular internacional para Assunção, no Paraguai.

Com capacidade para receber 1,6 milhão de passageiros por ano, o aeroporto recebe diariamente média de 4,2 mil pessoas, 37 voos e 9.706 kg de carga aérea. Em 2017 passaram por lá mais de 1,5 milhão de pessoas, entre embarques e desembarques, 4,64% a mais que em 2016.

O superintendente do terminal sul-mato-grossense, Richard Aldrin Fernandes Custódio, explica que além de ser um destino de negócios, Campo Grande também é porta de entrada para uma das principais riquezas naturais do país. “Recebemos diariamente centenas de turistas que vêm para conhecer as belezas naturais da região, com destaque, é claro, para o Pantanal”, ressaltou.

O aniversário do aeroporto também vem ao encontro da restauração do monumento Pantanal Sul, que fica na praça Brigadeiro Faria Lima, em frente ao terminal aeroportuário. Representado por três esculturas de tuiuiús, ave símbolo da região, nas quais as disposições das obras aludem às posições de pouso, decolagem e abastecimento das aeronaves, o monumento estava danificado e, graças a uma parceria entre o Sicredi, a Infraero e o artista plástico Cleir Ávila, foi restaurado e entregue no fim do ano passado.

 

Fonte: Infraero e edição Aviação Brasil

Publicidade