Azul, Santander e Puc/RS formam parceria para formação de pilotos

691

A aviação comercial brasileira ganhou um importante marco em sua história: pela primeira vez, será possível ter acesso a uma linha de financiamento própria para o curso prático de piloto por meio da iniciativa privada. A conquista é fruto da parceria entre a Azul Linhas Aéreas, Banco Santander e a PUC-RS.

Trata-se de um parcelamento em até 60 vezes do valor total da formação prática com juros a partir de 1,89% a.m. Esta taxa será praticada para os alunos de Ciências Aeronáuticas da PUC-RS, previamente selecionados pela Azul Linhas Aéreas. “A assinatura da parceria traz justamente esse diferencial para os alunos da universidade com a chancela da companhia área”, explica Jamil Hannouche, diretor do Santander Universidades. Para ter acesso a essa taxa especial, os universitários da instituição devem procurar a companhia para se inscrever no processo seletivo.

Outra novidade é que o estudante que passar no processo seletivo da Azul, para obter o desconto no parcelamento poderá se tornar um piloto da companhia logo ao se formar, assumindo possíveis vagas sem a necessidade de uma nova seleção. “Não poderia ser diferente, uma vez que é conhecido o grau de excelência dos pilotos formados pela PUC-RS. É um orgulho para a Azul ser pioneira nesta ação, a qual tem um enorme peso social, já que permitirá que mais pessoas possam se tornar pilotos. Participar disso está no DNA da companhia”, afirma o Cmte. Álvaro Neto, diretor de Operações de Voo.

O diretor da Faculdade de Ciências Aeronáuticas da PUC-RS, Elones Ribeiro, acredita que a parceria confirma a função da universidade, de oferecer qualificação e oportunidade para talentos, em um mercado promissor como o das ciências aeronáuticas. “É mais um passo que Faculdade dá na busca da formação integral dos nossos alunos” acredita.

O parcelamento será feito em dois módulos: o primeiro para o curso de Piloto Privado e um segundo para os demais cursos – Piloto Comercial, IFR (voos por instrumentos), MULTI (multimotor) e JET (aviões a jato).

“A iniciativa está totalmente alinhada às diretrizes de sustentabilidade do banco, que investe na educação superior como forma de transformar a sociedade. Com este convênio, vamos estimular a formação profissional de pilotos e ofertar mão de obra qualificada para atender à demanda reprimida”, completa Jamil Hannouche.

Publicidade