Começa a produção alemã do Airbus A350 XWB

531

A Airbus iniciou a fabricação do seu mais novo produto, o bijato A350 XWB (Xtra Wide-Body, Fuselagem Extra Larga, em português), na Alemanha. A autorização para o início da produção foi dada na fábrica de Stade pelo Presidente e Diretor Geral da Airbus, Tom Enders, pelo Vice-presidente Executivo de Operações e Presidente do Conselho de Administração da Airbus na Alemanha, Gerald Weber e pelo Secretário de Estado e coordenador de assuntos aeroespaciais do governo alemão, Peter Hintze

O primeiro componente alemão Também irá para o livro dos recordes pelo seu tamanho. Medindo quase 32 m x 6 m, o revestimento superior de cada asa é o maior componente integrado já construído do leve CFRP (Carbon Fibre Reinforced Plastic, Plástico Reforçado com Fibra de Carbono) pela Airbus.

“O A350 XWB estabelece novos padrões para a indústria da aviação e para os passageiros. Os avançados materiais fazem do novo Airbus o avião mais econômico e ecológico da sua categoria. Estamos aplicando esses novos padrões à nossa produção com instalações e maquinaria que operam nos mais altos padrões de qualidade e tecnologia. Graças a esse avançado processo de produção, somo capazes de atingir uma altíssima eficiência”, declarou Tom Enders

Os revestimentos superiores das asas serão construídos nos hangares de produção de 30.000 m2, localizados em Stade, utilizando avançados processos de produção. Pela primeira vez, a tecnologia da aplicação automática de materiais compostos será utilizada não só para a fibra de carbono, mas também para a proteção contra raios e componentes em fibra de vidro. Os revestimentos das asas, medindo 31,60 m x 5,60 m serão então submetidos a polimerização na autoclave. Esse forno de alta tecnologia é um dos maiores desse tipo em todo o mundo e tem capacidade para dois revestimentos de asas ao mesmo tempo.

Além de fazer os painéis de revestimento das ass, a fábrica também produz as longarinas (reforços longitudinais usados nos painéis das asas). Para fabricar esses componentes, a Airbus instalou pela primeira vez um sistema de fluxo de linha de produção que mede 140 m de comprimento.

Outras inovações incluem um sistema de controle de qualidade totalmente novo, o qual permite a inspeção simultânea das superfícies interna e externa de componentes de CFRP. A moderna fábrica também faz uso da tecnologia de jato d’água para aparar bordas e um sistema de transporte automático de alta precisão para grandes componentes

Além de produzir os revestimentos superiores das asas do A350 XWB, a fábrica da Airbus em Stade constrói derivas e, pela primeira vez, revestimentos para fuselagens de CFRP. Aproximadamente 100 pessoas estarão trabalhando na produção do A350 XWB no final de 2010, mas esse número poderá chegar a cerca de 500 quando a produção atingir a sua capacidade total.

A fábrica de Stade possui também a su própria unidade combinada de calor e potência. Essa unidade não apenas gera eletricidade e calor para os hangares: as emissões são utilizadas como gás inerte para a autoclave e para proteção contra incêndios. Isso significa que a exploração de energia da unidade de potência é de 100%.

A A350 XWB é uma nova familia de aviões comerciais de fuselagem larga (com dois corredores), que estará composta pelos modelos A350-800, A350-900 e A350-1000, para a qual a Airbus já conta com 528 encomendas confirmadas. Com células feitas de 53% de composites leves de fibra de carbono, essas aeronaves possuem um enorme potencial de economia de combustível. A montagem final do A350-900 está programada para começar em 2011, com as primeiras entregas esperadas para 2013.

Publicidade