A Delta Air Lines, em parceria com a CBP (Alfândega dos Estados Unidos), o Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson de Atlanta (ATL) e a Transportation Security Administration (TSA), está lançando até o final de 2018, o primeiro terminal biométrico nos Estados Unidos, no Terminal Internacional Maynard H. Jackson (Terminal F) em Atlanta.

Os clientes de voos internacionais poderão usar a tecnologia de reconhecimento facial no portão de entrada, transformando a jornada do passageiro dentro do aeroporto em uma experiência de viagem perfeita.

Esta experiência Delta Biometrics, segura e opcional, inclui o uso da tecnologia de reconhecimento facial para:

– Check-in nos quiosques de autoatendimento no saguão;
– Deixar bagagens despachadas nos balcões do saguão;
– Servir como identificação no ponto de controle do TSA;
– Embarcar em qualquer porta do Terminal F;
– E passar pela CBP, no caso de passageiros internacionais que chegam aos Estados Unidos.

Os passageiros das companhias aéreas parceiras Aeromexico, Air France-KLM ou Virgin Atlantic Airways, saindo do Terminal F, também podem usar essa tecnologia – outro benefício da incomparável rede global de parceiras da Delta.

Employee Guiding Customer through Facial Recognition Boarding

“O lançamento do primeiro terminal biométrico nos Estados Unidos no aeroporto mais movimentado do mundo indica que estamos trazendo o futuro do transporte aéreo para clientes que viajam pelo mundo”, disse Gil West, Diretor de Operações (COO) da Delta. “Os clientes esperam ter experiências de viagem fáceis e perfeitas – é isso que pretendemos com o lançamento dessa tecnologia nos pontos de contato do aeroporto.”

A contribuição dos funcionários da Delta tem sido fundamental para inserir o reconhecimento facial neste lançamento em grande escala, pois eles forneceram feedback valioso sobre tudo, incluindo o melhor ângulo da câmera para uma digitalização adequada e melhorias adicionais que facilitam a interação cara-a-cara com os clientes. Com base nos testes iniciais, a opção de reconhecimento facial não só reduz em até nove minutos por voo, como também oferece aos funcionários uma oportunidade de ter interações mais significativas com os clientes durante toda a viagem.

“Este é o exemplo mais recente do investimento e da parceria da Delta com o aeroporto mais movimentado e eficiente do mundo. Estamos ansiosos para transformar o futuro da viagem em realidade com a Delta, a CBP e o TSA”, disse Balram Bheodari, Gerente Geral Interino do Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson em Atlanta.

Como funcionará o sistema?

Os clientes que voam diretamente para um destino internacional saindo do Terminal F de Atlanta que quiserem usar esta opção devem simplesmente:

– Digitar suas informações de passaporte quando solicitado durante o check-in online;
– Esqueceu de inserir as informações do passaporte antecipadamente? Não se preocupe: essa opção estará disponível no terminal após uma verificação inicial do passaporte.
– Clicar em “Look” na tela, no quiosque do saguão, ou aproximar-se da câmera no balcão do saguão no ponto de controle da TSA ou ao embarcar no portão;
– Passar assim a marca de verificação verde piscar na tela;
– Os passageiros devem trazer seus passaportes em viagens internacionais para uso em outros pontos de verificação durante a viagem.

E se os clientes não quiserem usar esse sistema? Ainda poderão seguir o procedimento normal pelo aeroporto, como sempre fizeram?

“A Delta e a CBP desenvolveram uma parceria forte ao longo dos anos, compartilhando uma visão em comum para melhorar a segurança e a experiência dos passageiros”, disse o Comissário da CBP, Kevin McAleenan. “Com parceiros inovadores como a Delta, a TSA e o ATL, usamos a tecnologia para criar uma experiência de viagem segura, eficiente e simplificada.”

Também no Terminal F do ATL, os clientes podem usar os scanners de tomografia computadorizada (TC) mais avançados do setor em duas linhas de triagem automatizadas que estão sendo instaladas em parceria com a TSA e o aeroporto. Isso quer dizer que os passageiros não precisarão retirar componentes eletrônicos de suas malas no ponto de controle da TSA, o que permitirá uma experiência de viagem mais tranquila.

“A expansão da biometria e do reconhecimento facial em todo o ambiente do aeroporto representa a próxima geração de tecnologia de identificação de segurança”, disse David Pekoske, Administrador da TSA. “A TSA se compromete a trabalhar com grandes parceiros como a Delta, o ATL e a CBP no desenvolvimento e implementação de novos recursos como esses.”

A expansão da opção de reconhecimento facial com o Delta Biometrics é o próximo passo natural após os testes de embarque de reconhecimento facial opcionais da CBP e da Delta no ATL, no Aeroporto Metropolitano de Detroit e no Aeroporto Internacional John F. Kennedy nos últimos anos. Além disso, a Delta testou recentemente o autoatendimento biométrico de despacho de bagagem no Aeroporto Internacional de Minneapolis-Saint Paul para passageiros internacionais. A Delta também testou o embarque biométrico no Aeroporto Nacional Ronald Reagan, em Washington, e lançou o check-in biométrico opcional para todos os Delta Sky Clubs domésticos, com a cooperação da Delta Biometrics e do CLEAR.

Nos últimos anos, a Delta lidera o setor em várias soluções para clientes, como manuseio de bagagens por sistema RFID, check-in automático e rastreamento de bagagem no aplicativo móvel Fly Delta, uma aliança entre setores que fornecerá aos passageiros uma experiência de conectividade na cabine perfeita, esteiras de triagem automatizadas de alta tecnologia e mais eficientes e um aplicativo inovador que ajuda os pilotos da Delta a evitar a turbulência, colaborando para voos mais confortáveis. A Delta foi nomeada uma das empresas mais inovadoras do mundo de 2018 pela Fast Company, ocupando o sexto lugar entre as empresas de viagem. Este lançamento utiliza a tecnologia e o software desenvolvidos pela NEC Corporation.

Publicidade