Desempenho Regional e Nacional das Empresas Aéreas em Novembro

281

“O mercado vem se ajustando nos últimos meses com grandes perspectivas para o cenário doméstico. A tomada da liderança do setor pela Gol será questão de tempo, talvez alguns meses”, diz Alexandre Barros, diretor do Portal Aviação Brasil. A Azul, após conquistar 5% do doméstico em agosto, voltou a sofrer queda, a terceira consecutiva, mas a empresa apresenta alto índice de aproveitamento, 84,14%, atrás somente da Total, que opera vôos fretados.

Considerando somente o setor regional temos em novembro o seguinte cenário:

Market-Share

TRIP 72,41% contra 68,41% em outubro
Passaredo 13,49% contra 16,58% em outubro
Pantanal 6,12% contra 5,86% em outubro
Total 3,74% contra 3,99% em outubro (dados não vínculados à Trip pela ANAC por tratar-se de voos fretados)
Air Minas 1,41% contra 1,53% em outubro
NHT 0,98% contra 1,05% em outubro
Sete 0,80% contra 0,86% em outubro
Sol 0,34% contra 0,19% em outubro
Rico 0,21% contra 0,18% em outubro
Team 0,21% contra 0,10% em outubro
Cruiser 0,16%
Abaeté 0,11%, idêntico a outubro
Puma Air 0,00%
Meta não informou à ANAC seus dados de Novembro

Considerando as seis maiores empresas nacionais temos em novembro o seguinte cenário:

Market-Share Doméstico

TAM 43,93% contra 44,58% em outubro
Gol 42,25% contra 41,70% em outubro
Webjet 4,56% contra 4,47% em outubro
Azul 4,31% contra 4,44% em outubro
OceanAir 2,35% contra 2,28% em outubro
TRIP 1,89% contra 1,73% em outubro

Vale ressaltar que o resultado de 1,89% da TRIP no cenário doméstico corresponde a 72,41% dela no mercado regional, como apontamos acima.

Considerando o cenário internacional, operado somente com as empresas brasileiras, temos em novembro os seguintes resultados:

Market-Share Internacional

TAM 85,41%
Gol 14,59%

A TAM obteve em agosto 89,41% do mercado e apresentou em novembro a terceira queda consecutiva. Coinscidentemente a GOL cresceu nos últimos três meses.

Todos os dados apresentados possuem a ANAC como fonte consolidadora. As informações são enviadas pelas companhias aéreas. Aviação Brasil, através de sua plataforma de consulta, faz as devidas comparações e análises com os períodos passados.

FONTE: Aviação Brasil – Redação – São Paulo/SP

Publicidade