Embraer realiza corte da primeira peça do Legacy 500

1624

A Embraer realizou ontem o corte da primeira peça para os programas Legacy 450 e Legacy 500. Esta peça fabricada pertence ao primeiro protótipo do avião Legacy 500. O evento aconteceu na sede da Empresa em São José dos Campos. O Legacy 500 tem o primeiro vôo programado para o segundo semestre de 2011.

“O corte da primeira peça do jato executivo Legacy 500 é um importante marco para o progresso do programa”, disse Luís Carlos Affonso, Vice-Presidente Executivo da Embraer para o Mercado de Aviação Executiva. “Temos o forte compromisso de entregar jatos inovadores que ofereçam o melhor desempenho e conforto de suas categorias. O Legacy 450 e o Legacy 500 são os únicos aviões em seus segmentos que oferecem um sistema completo fly-by-wire e uma cabine de piso plano, com altura de 1,82 metro.”

O primeiro componente fabricado pela Embraer é parte integrante da fuselagem dianteira, ao qual estão acoplados o radome, o radar e a antena do glideslope. Ele foi cortado de uma placa de liga de alumínio por uma máquina de usinagem de alta velocidade com cinco eixos. O processo estava em total integração com a maquete digital, de onde os dados do projeto foram extraídos e convertidos em um programa de controle numérico e, então, carregados no equipamento. A superfície da peça também foi tratada e verificada com uma máquina de medição coordenada antes de prosseguir ao processo de montagem.

“Projetados com a versão mais recente do software de engenharia CATIA (V5), os programas Legacy 450 e Legacy 500 são favorecidos pelo uso intensivo de ferramentas de fabricação digital para a produção de peças metálicas e compostos, bem como das simulações de montagem”, disse Artur Coutinho, Vice-Presidente Executivo de Operações da Embraer.

A estrutura principal dos jatos será feita em ligas de alumínio, contendo uma parcela significativa de materiais compostos. Haverá um aumento considerável do uso de robôs no processo produtivo, além da utilização, pela primeira vez na Embraer, da tecnologia de soldagem por atrito e fricção (fricton stir welding), desenvolvida pela TWI, na produção da aeronave.

A Empresa adotará uma estratégia industrial com múltiplas instalações fabris para a produção de peças e estruturas principais dos novos jatos. As empresas Sonaca, Alestis, Ducommun e SLCA são as principais fornecedoras de estruturas. A montagem final, assim como o acabamento e a pintura serão feitos na fábrica de São José dos Campos.