Emirates atinge novo lucro recorde no primeiro semestre do ano fiscal 2010-11

397

A Emirates Airline registrou um lucro líquido de AED 3,4 bilhões (US$ 925 milhões) nos seis primeiros meses do atual ano financeiro, que terminou em 30 de setembro de 2010. Isso representa um aumento de 351,2% em relação ao mesmo período de 2009, que apresentou lucros de AED 752 milhões (US$ 205 milhões).

“Os resultados apresentados no primeiro semestre do ano fiscal de 2010-11 são extremamente fortes, e refletem o sucesso da Emirates na crescente demanda dos clientes, apoiados em investimentos em novos aviões, produtos e excelência em atendimento. Nós continuamos a investir nossos lucros no crescimento dos negócios, e nossa saudável situação financeira nos permite cumprir com êxito todos os nossos compromissos, e obter financiamento para entregas de aeronaves no futuro. Nossa forte posição hoje é reflexo de nossa capacidade de adaptação, o que nos conduz novamente a um período de crescimento vigoroso. Com 62 novas aeronaves state-of-the-art encomendadas só no primeiro semestre, continuamos bem posicionados para aproveitar esse crescimento”, diz HH Sheikh Ahmed bin Saeed Al-Maktoum, presidente e CEO da Emirates Airline e Grupo.

Destacando uma mudança positiva no setor da aviação, a companhia aérea Emirates observou um aumento significativo no tráfego de passageiros, transportando 15,5 milhões de passageiros, com 81,2% de ocupação em seus assentos. O destaque vai para a primeira classe, que teve um aumento de 2,6% em sua ocupação, refletindo uma mudança encorajadora das perspectivas da economia global.

A Emirates SkyCargo também apresentou um forte desempenho no período, com um aumento em sua receita de 48,4%, para AED 4,4 bilhões (US$ 1,2 bilhões), com tonelagem de carga acima de 23,7%, para 897 mil toneladas, em comparação ao mesmo período do ano anterior, que teve 725 mil toneladas carregadas.

O saldo de caixa da Emirates cresceu para AED 12,5 bilhões (US$ 3,4 bilhões) no final de setembro, uma melhora significativa de 18,5%, ou AED 1,9 bilhões (US$ 529 mil). O combustível continua a ser a despesa mais significativa para a companhia, com custos operacionais de 22,6% .

“Investir no futuro e adaptar as nossas operações sempre que necessário é uma parte importante de nossa estratégia corporativa. Esta flexibilidade nos permite aumentar o número de passageiros e cargas transportados, em setores de grande demanda. Ao seguir estes pontos positivos nas economias regionais, temos sido capazes de maximizar a utilização de nossa frota, estimulando ainda mais nossa receita”, acrescentou o Sheikh Ahmed bin Saeed Al-Maktoum.

A receita da Emirates, incluindo outras fontes operacionais, apresentou um crescimento de 35,5%, de AED 19,5 bilhões (US$ 5,3 bilhões) para AED 36,4 bilhões (US$ 7,2 bilhões) no mesmo período do ano passado.

Seguindo o crescimento mundial da indústria da aviação e do turismo, a Emirates lançou seis novas rotas desde abril deste ano – Amsterdã, Praga, Madri, Dakar (passageiros) e Almaty e Bagram (carga). Aos mercados existentes, foram alocados aumentos de freqüência e capacidade, através de aeronaves maiores.

Duas novas rotas foram atendidas pelo Airbus A380, Manchester e Pequim. O A380 da Emirates continua a ser popular e emblemático, principalmente nos setores de conforto de passageiros, inovação, eficiência operacional e ambiental e geração de renda.

A Emirates continua a investir fortemente em seus produtos. Só no primeiro semestre foram entregues à companhia seis aeronaves wide-body, cinco Airbus A380 e um Boeing 777, além da abertura de uma nova sala para passageiros no Aeroporto Internacional de Shangai. Outros dois novos aviões estão programados para serem entregues antes do final deste ano fiscal (31 de março de 2011).

Publicidade