Gol na Copa

699
Foto: Enos Moura Filho
Foto: Enos Moura Filho

A Gol transportou 3,4 milhões clientes entre 12/6 e 14/7. O pico de passageiros voando em um único dia foi em 14 de julho com 122.948 passageiros. No período, a taxa de ocupação das aeronaves da Companhia foi de 81,2%. No mês de junho, a GOL foi líder em pontualidade no mercado doméstico, com 93,1%. E até 16 de julho, o percentual foi de 96%, mantendo a liderança. “Os números mostram que nossa operação foi bem-sucedida durante todo o evento, um dos maiores do mundo”, destaca Paulo Kakinoff, presidente da Companhia.

A Gol contou com uma frota especial para atender a delegação. Ao todo, foram 16 voos e 16.396 quilômetros percorridos nos deslocamentos aéreos da Seleção Brasileira. A Companhia realizou ainda 631 fretamentos para transportar seleções, corporações, federações, patrocinadores e imprensa.

A Gol opera em 65 bases e tem 4.800 colaboradores em aeroportos. Durante o Mundial do futebol, nas 15 bases em cidades-sede, o contingente foi reforçado por temporários, contratados ou transferidos de outras cidades, concentrando 3.000 colaboradores. Tripulantes reservas foram distribuídos estrategicamente nos aeroportos de maior volume de operação. Profissionais fluentes em inglês, espanhol, francês, japonês, coreano, italiano, alemão e russo também foram escalados para voos com clientes que falam estes idiomas.