O sistema de rastreamento de bagagem em tempo real por meio de etiqueta RFID na bagagem utilizado pela Delta está sendo elogiado por especialistas do setor como um dos fatores que levou a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) a assumir recentemente um compromisso com o desenvolvimento de um plano global para padronizar e exigir a tecnologia RFID em todas as etiquetas de bagagem.

Em sua assembleia anual, a IATA disse que o processo de desenvolvimento de uma solução global de RFID deve levar cerca de um ano, e nesse período, ela deve se alinhar a parceiros, principalmente aeroportos, para amadurecer a visão industrial da implementação da etiqueta RFID de rastreamento de bagagem a partir de 2020 em todas as companhias aéreas.

O RFID Journal publicou: a Delta Air Lines é a primeira companhia aérea a mostrar que a tecnologia RFID pode ser uma solução econômica (veja “Delta Gives Green Light to RFID Baggage Tracking” – Delta adota rastreamento de bagagem com tecnologia RFID). No aplicativo da Delta, ao verificar as bagagens, o passageiro recebe uma notificação quando as malas estiverem no avião, isso é maravilhoso – e a Delta pode rastrear a bagagem rapidamente em qualquer lugar do sistema e identificar se alguma bagagem foi colocada no voo errado.

A empresa de soluções RFID Impinj disse em uma publicação recente que “essa não é a primeira vez que a tecnologia RAIN RFID é utilizada por uma companhia aérea. Mas o recente embalo no setor se deve em grande parte ao programa de rastreamento de bagagens RAIN RFID premiado da Delta, que ajudou a conectar os consumidores à tecnologia, permitindo que eles acompanhem a movimentação de suas bagagens pelo smartphone.

A Delta introduziu o uso de etiquetas RFID nas bagagens em 2016, e depois disso, a IATA compartilhou os resultados de um estudo que concluiu que a adoção global de uma solução RFID poderia reduzir o número de bagagens extraviadas em até 25% até 2022. Desde o lançamento das etiquetas RFID e rastreamento de bagagens em tempo real, a Delta observou melhoria constante na confiabilidade do rastreamento de bagagens, ficando em primeiro lugar entre os concorrentes em sete dos últimos 12 meses – em 2016, a empresa não havia conquistado o primeiro lugar em mês algum.

Ao anunciar a adoção da tecnologia RFID em sua assembleia anual, a IATA forneceu detalhes sobre as etiquetas RFID nas bagagens:

RFID, ou identificação por radiofrequência, é uma forma de comunicação sem fio que pode ser usada para rastrear objetos equipados com um chip RFID.

Hoje, a maioria das bagagens é verificada e rastreada usando a tecnologia de código de barras; porém, é impossível atingir a meta do setor de rastreamento de 100% das bagagens usando a tecnologia de código de barras atual.

Um chip RFID (ou inlay) produz um sinal contínuo de energia muito baixa que permite o rastreamento das bagagens de praticamente qualquer ponto da viagem, usando um leitor de RFID. O sinal RFID não interfere nos sistemas da aeronave.

O RFID já é amplamente usado na aviação, por exemplo, no rastreamento de peças e componentes de aeronaves de alto valor, além de equipamentos de rampa e ULDs (contêineres usados no transporte aéreo de carga). Algumas companhias aéreas e aeroportos já usam por iniciativa própria o rastreamento de bagagens via RFID.

A tecnologia RFID foi selecionada na comparação com outras soluções de rastreamento de bagagem devido à confiabilidade, maturidade, ampla disponibilidade e custo. O RFID alcança uma taxa de leitura de 99-100%, tornando-se a tecnologia líder para garantir um rastreamento preciso de bagagens.

O custo da etiqueta para bagagem com chip de RFID é estimado em USD 3-5 centavos cada uma, e o custo do leitor varia de USD 1.500 a USD 5.000. Este investimento será mais do que compensado pelos benefícios, incluindo a capacidade de rastrear a bagagem em todos os processos no aeroporto, reduzindo extravios, roubos e uso indevido de bagagens e otimizando a experiência dos passageiros.

Publicidade