Pequenas companhias aéreas avançam no mercado doméstico

1234
Foto: Lucas Coacci (via Assessoria de Imprensa Azul)

As gigantes da aviação brasileira TAM e Gol mantiveram a liderança do mercado doméstico em janeiro, mas perderam participação para empresas de menor porte em relação ao mesmo mês de 2011. Segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), as demais companhias aéreas apresentaram crescimento de 31,52% no período, aumentando sua participação de 19,13% para 25,16% no mercado interno.

A TAM manteve-se na liderança, mas sua parcela recuou de 43,42% em janeiro do ano passado para atuais 40,71%. A demanda por assentos da companhia cresceu 1% e a oferta, 4,3%, o que diminuiu a taxa de ocupação das aeronaves de 78,96% para 76,5%. A Gol, por sua vez, teve queda na participação de mercado de 37,45% para 34,13%. Se for considerada também a participação de mercado da WebJet, adquirida em julho do ano passado pela empresa, a participação total em janeiro ficou em 39,54%, ainda assim abaixo de sua principal concorrente.

Terceira colocada no mercado nacional, a Azul aumentou sua participação de 7,72% para 9,78%, mas viu sua diferença para a Avianca diminuir. A empresa aumentou seu market share para 4,64% – quase o dobro dos 2,55% de janeiro do ano passado. Já a Trip, maior companhia aérea regional do Brasil, aumentou sua participação de 2,39% para 4,07% do mercado doméstico em um ano.

Melhor janeiro desde 2000 – Os indicadores de oferta e demanda na aviação doméstica brasileira foram os melhores para janeiro desde 2000, segundo a Anac. A demanda doméstica cresceu 7,77% em relação a janeiro de 2011, enquanto a oferta de assentos aumentou 12,23% no mesmo período.

“Desde 2005 o mês de janeiro vem registrando recorde de demanda e oferta doméstica em relação ao mesmo mês dos anos anteriores”, informou a agência reguladora.

Como a oferta por assentos cresceu mais que a demanda, a taxa de ocupação média dos voos domésticos recuou de 77,79% em janeiro do ano passado para 74,7% no mês passado.

Por outro lado, no segmento de voos internacionais operados por companhias brasileiras, a taxa de ocupação cresceu de 78,05% para 84,53%. A demanda cresceu 3,6% e a oferta diminuiu 4,33%. No mercado internacional, a TAM também se manteve líder do mercado, com a participação crescendo de 83,73% para 86,71%. A fatia da Gol neste mercado recuou de 15,04% para 11,78%.

Autor: Veja

Publicidade