Sabre entra com ação legal para proteger a transparência e a competitividade do mercado de viagens

493

Dando continuidade aos esforços para proteger a transparência das informações referentes aos preços cobrados pelas empresas aéreas dos clientes pelos voos e serviços prestados, a Sabre Holdings entrou hoje com uma ação judicial antitruste contra a American Airlines (AA).

“Tínhamos a intenção de estender a situação legal atual”, disse Chris Kroeger, vice-presidente sênior do Sabre Travel Network. “No entanto, está claro, com base nas ações tomadas pela AA, que o Sabre não tem outra opção a não ser buscar recursos legais. Paralelo a isto, daremos prosseguimento às negociações de um acordo de distribuição com a AA que atenda às necessidades de todas as partes envolvidas.”

A ação judicial antitruste do Sabre afirma que a AA está envolvida em uma conduta anti-competitiva para manter seu monopólio com relação ao transporte aéreo de seus hubs e entre muitas cidades dos EUA e do Caribe, bem como ganhar monopólio nos serviços de reservas para as viagens entre estas cidades.

O Sabre reivindica que a AA está forçando ilegalmente as agências de viagens, empresas de gerenciamento de viagens e corporações a utilizarem seu produto Direct Connect para acessar as informações completas sobre tarifas da cia., o que constitui “vínculo” ilegal.

Além disso, o Sabre declara que a AA está tentando eliminar o GDS.  A empresa aérea está fazendo isso ao recusar o fornecimento completo das informações sobre tarifas ao GDS e ao forçar os agentes de viagens a utilizarem o produto Direct Connect da AA no lugar dos GDSs.  Com estas ações, a AA está reduzindo a competição para os serviços aéreos e serviços de reservas aéreas, e assim, mantendo e expandindo seu monopólio.

“O Sabre preza pela competição justa e baseada no mercado. Por não ter havido aceitação do mercado de seu produto Direct Connect, a AA optou por deixar de lado a competição justa, utilizando-se de sua posição de monopólio para tentar forçar as agências de viagens a utilizarem o produto que eles querem”, declarou Kroeger.  “Estas ações violam a lei e impõem um prejuízo substancial sobre nossa empresa e sobre as agências de viagens, consumidores e clientes corporativos que atendemos, nos forçando a tomar uma ação local hoje”.

A ação do Sabre requer danos e um mandato judicial a fim de evitar que a AA continue forçando os agentes e outros clientes a utilizarem o produto Direct Connect da cia.